17/04/2014 às 16h37min - Atualizada em 17/04/2014 às 16h37min

Ministério da Saúde anuncia R$ 5 milhões para ala de Radioterapia

Agencia da Noticia
Iteresante News

O Ministério da Saúde anunciou um investimento de R$ 5 milhões para a construção de uma ala de radioterapia no Hospital Santo Antônio, em Sinop. As obras estão previstas para começarem em setembro com prazo de um ano para conclusão.

De acordo com o diretor do setor de oncologia do hospital, Airton Rossini, são mais de 250 pacientes atendidos hoje na unidade. “Radiologia só é feita hoje em Cuiabá e com esta ala em Sinop poderemos agilizar o tratamento, além de dar mais conforto ao paciente, podendo fazer o tratamento na sua região, evitando deslocamentos”, enfatizou Rossini.

Das duas máquinas que atendem pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Mato Grosso, apenas uma está funcionando. Segundo o médico, a máquina do Hospital do Câncer está quebrada desde o início de janeiro. “Isso atrapalha muito o tratamento. Tenho pacientes que encaminhei em janeiro e ainda não fizeram suas sessões e isso não pode ocorrer, o câncer não espera. Com a ala em Sinop poderemos melhorar e agilizar o tratamento”, explicou Rossini.

Os casos mais comuns na região são de câncer de mama, para mulheres e de próstata para homens. “Costumo dizer que o câncer é eclético, não escolhe cor, idade ou sexo. Mas ainda percebemos uma grande incidência da mama e da próstata, que são doenças que podem ser tratadas e curadas”, destacou Rossini.

A implantação da ala de radioterapia incluiu a construção de um prédio de 1,2 mil metros quadrados e atenderá exclusivamente pacientes do SUS.

A Radioterapia é um tratamento no qual se utiliza radiação ionizante por meio da perda ou ganho de elétrons com moléculas neutras para destruir, eliminar ou impedir que as células de um tumor aumentem seu tamanho. “Existem algumas maneiras de tratar o câncer, pode ser com cirurgia ou radiologia e infelizmente hoje quando encaminhamos um paciente para sessões, ele precisa se deslocar até a capital”, enfatizou Rossini, concluindo que no Brasil, o Ministério irá instalar cerca de 80 alas e que a de Sinop poderá melhorar os tratamentos de todo o estado e não apenas da região médio norte.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.3%
5.3%
18.3%
75.1%