31/07/2021 às 21h14min - Atualizada em 31/07/2021 às 21h14min

Bebê que depende de aparelho para respirar fica em estado grave após queda de energia por 15 horas em Piranhas

Millena Barbosa, G1 GO
ARAGUAIA NOTÍCIA
Uma bebê de 11 meses, que nasceu com um problema cardíaco, está internada em estado grave depois de faltar energia por 15 horas na casa dela, em Piranhas (GO), conforme afirmou a família. A mãe de Sibely Ribeiro de Sousa conta que a menina depende de um aparelho ligado à tomada que precisa ser utilizado várias vezes ao dia para desobstruir tubo que auxilia respiração.

“Ela tem um aparelho na garganta que precisa ser aspirado, porque sem ele ela não consegue respirar, pois ele entope com as secreções que vão acumulando. Foi justamente isso que aconteceu. Quando vi, minha filha estava sufocando”, contou Graziela Ribeiro.

Em nota, a Enel Distribuição Goiás informou que um problema em um transformador provocou a interrupção no fornecimento de energia no local. A concessionária afirmou que foi acionada por volta das 8h da manhã de sexta-feira (30), quando uma equipe foi enviada ao local, concluindo a manutenção do equipamento por volta das 14h30, de acordo com a companhia.

A Enel afirmou ainda que a cliente não estava cadastrada como cliente sobrevida, quando é informada à concessionária a existência de pessoas que dependem de aparelhos médicos em suas residências. “Clientes sobrevida possuem atendimento prioritário em situações de falta de energia.”

No entanto, a mãe conta que começou a faltar energia na madrugada da última sexta-feira (30) e só retornou por volta das 9h. Porém, às 10h houve uma nova interrupção que durou até às 16h, segundo ela. Durante esse período, Graziela não conseguiu realizar a aspiração da cânula colocada na garganta da menina, o que provocou a asfixia na bebê.

“Ela começou a tossir, ficar roxa e espumar pela boca. Corri com ela para o hospital e ela já chegou lá praticamente morta. Os médicos que conseguiram reanimá-la”, contou.

Após ser reanimada na unidade de saúde de Piranhas, a menina foi levada junto com a mãe para o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), onde permanece internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) até a manhã desta sábado (31).

O G1 entrou em contato com a unidade de saúde, na manhã deste sábado, para saber qual o estado de saúde da paciente, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem.

Graziela explica que, por conta da cardiopatia, a filha ficou internada por 10 meses no Hospital da Criança em Goiânia e havia apenas um mês que ela tinha recebido alta e ido para casa. A médica Laura Moreira Tannus, que participou do tratamento de Sibely durante esse período, lamenta o ocorrido.

“Depois de tudo que essa criança e a mãe já passaram, acontecer algo com ela porque faltou energia é, no mínimo, um absurdo. Estamos falando de uma vida, de uma pessoa que pode morrer porque simplesmente não tinha o básico”, afirmou.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.4%
18.5%
74.4%