29/07/2021 às 17h10min - Atualizada em 29/07/2021 às 17h10min

MT passa a ter brigada composta por presos em ressocialização para ajudar bombeiros em incêndios

Com o trabalho, eles ganham a remição de pena: a cada três dias trabalhados, menos um dia na pena. Quando forem chamados para o combate, serão monitorados por escolta policial e tornozeleira eletrônica.

G1 MT
Araguaia Notícia
Mato Grosso tem uma brigada composta por presos em ressocialização para ajudar o Corpo de Bombeiros a combaterem incêndios florestais especificamente em municípios localizados na Baixada Cuiabana.

De acordo com a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), o estado conta com 11 presos que passaram por um curso de capacitação. Outro grupo de presos foi usado nas queimadas em 2020.

Eles aprenderam técnicas de combate e prevenção aos incêndios florestais com materiais de utilização do Corpo de Bombeiros.

Segundo a Sesp, a brigada está apta ao trabalho e fica a critério do Corpo de Bombeiros, caso haja necessidade de acionar o grupo em algum combate a incêndio.

Para atuarem na brigada, os presos foram selecionados no mesmo critério dos que atuam no chamado ‘trabalho extramuro’, que são as atividades monitoradas fora das cadeias.

Nesses casos os presos podem sair para trabalhar em empresas e locais parceiros do governo, como cooperativas e prefeituras.

Os presos que compõem a brigada são de baixa periculosidade e já cumpriram 1/6 da pena.

Com o trabalho, eles ganham a remição de pena: a cada três dias trabalhados, menos um dia na pena. Quando forem chamados para o combate, serão monitorados por escolta policial e tornozeleira eletrônica.

O tempo de atuação brigadistas ocorre enquanto houver o período proibitivo, que vai até o dia 15 de outubro.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.8%
5.0%
20.2%
72.9%