23/06/2021 às 10h03min - Atualizada em 23/06/2021 às 10h03min

Engenheira foi morta a facadas após morder mão de adolescente enquanto ele a amordaçava durante assalto, diz polícia

Quatro garotos, com idades entre 13 e 16 anos, foram apreendidos suspeitos de cometer o ato, em Bonfinópolis. Muito abalado, filho pede por justiça: 'Foi uma barbaridade'.

G1 GO
ARAGUAIA NOTÍCIA
A Polícia Civil concluiu nesta terça-feira (22) que a engenheira aposentada Maria Terezinha Cintra, de 70 anos, foi morta a facadas após morder a mão de um adolescente enquanto ele a amordaçava durante um assalto na casa em que morava, em Bonfinópolis, na Região Metropolitana de Goiânia. Segundo a corporação, quatro garotos, de 13, 14, 15 e 16 anos, assumiram a participação no caso.

Por não terem as identidades divulgadas, o G1 não conseguiu localizar as defesas dos suspeitos para que eles pudessem se posicionar sobre o caso.

O crime aconteceu na última sexta-feira (18). Segundo a família de Maria, ela morava sozinha e fazia almoço quando foi surpreendida pelos invasores. De acordo com a Polícia Civil, a TV, o celular e o carro da vítima foram roubados.

Segundo a delegada Cybelle Tristão, responsável pelo caso, dois dos adolescentes moravam nas proximidades da casa da idosa e notaram que ela era seria um “alvo fácil” para o roubo. Conforme a investigadora, eles conheciam a rotina da aposentada e já tinham roubado o carro dela um mês antes.

"Dois entraram pelos fundos da casa e dois pela frente. Eles renderam a mulher. Um deles, que fez uso de cocaína, foi amordaçá-la, quando ela mordeu o dedo dele. Com raiva, ele desferiu vários golpes de faca no rosto dela. Em seguida, dois deles amarraram os pés, as mãos e colocaram um saco na cabeça da vítima", contou.

Inicialmente havia a suspeita de que o crime havia sito cometido porque a idosa teria reconhecido dois dos adolescentes que, há um mês, invadiu a casa dela e roubou o carro da vítima, segundo a investigadora. No entanto, segundo a delegada, essa hipótese foi descartada, ficando concluído que o homicídio foi motivado porque a vítima reagiu ao assalto ao morder a mão de um dos suspeitos.

"No primeiro roubo eles estavam encapuzados e ela só viu os olhos deles. Então, não teria como ela os reconhecer. Um deles também afirmou que acredita que se ela não tivesse reagido, o comparsa não teria a matado", afirmou.


Ainda de acordo com a polícia, a investigação já foi concluída e os adolescentes, que estão na Central de Flagrantes de Aparecida de Goiânia, aguardam decisão do Poder Judiciário, que definirá se eles serão encaminhados a centros de internação.

Família pede justiça

Muito abalado com a morte da mãe, Ernesto Nascente Cintra Petrillo, de 42 anos, pede que os suspeitos não fiquem impunes.

"O que eu quero é justiça pelo que fizeram com minha mãe. Quero que paguem pelo que fizeram. São monstros. Estão agredindo famílias. Foi uma barbaridade com minha mãe. Tantas pessoas já sofreram com isso não quero que outras sofram”, lamentou.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%