18/06/2021 às 16h20min - Atualizada em 18/06/2021 às 16h20min

Pai é condenado por estuprar e fazer filha abortar em MT

Reportagem: Folha Max via Araguaia Notícia 

O Tribunal do Júri de Cuiabá condenou Cleiton da Paixão Guimarães, na quinta-feira (17/6), a 33 anos, 11 meses e 10 dias reclusão, bem como ao pagamento de 20 dias-multa, pela prática dos crimes de estupro de vulnerável cometido contra a sua própria filha de apenas 11 anos de idade, aborto sem o consentimento da gestante e ocultação/destruição de cadáver.

A sessão de julgamento durou 15 horas. O réu, que foi condenado ainda ao pagamento das custas e demais despesas processuais, pode recorrer da decisão.  

De acordo com a sentença de pronúncia, o crime de aborto ocorreu na madrugada de 17 de abril de 2019, na residência da família. Consta nos autos que a vítima sofria abusos sexuais desde o ano de 2017. O acusado foi preso em flagrante e confirmou que, após manter relações sexuais com a vítima, realizou testes de gravidez nela e depois comprou remédio para que tomasse, com a intenção de fazê-la abortar. 

Segundo apurado pela polícia, após passar um dia inteiro com muitas dores, a vítima expeliu o feto com a ajuda do pai que, na sequência, colocou-o em uma sacola e evadiu-se do local. Posteriormente, o denunciado voltou à residência e deparou-se com a guarnição da Polícia Militar, momento em que confessou os crimes, afirmando inclusive que havia jogado o feto no rio Coxipó.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%