16/06/2021 às 22h35min - Atualizada em 16/06/2021 às 22h35min

Paróquia de MT deleta vídeo com ofensa homofóbica de padre contra repórter

Reportagem: Folha Max via Araguaia Notícia 

Após grande repercussão nas redes sociais, a Paróquia Nossa Senhora de Aparecida, localizada na cidade de Tapurah, no Mato Grosso, decidiu retirar do ar o vídeo publicado no Facebook da igreja em que um padre disparava ofensas e críticas aos repórteres Pedro Figueiredo e o marido Erick Rianelli.

Os jornalistas viraram notícia após Rianelli desejar feliz Dia dos Namorados ao marido, também jornalista, enquanto encerrava a participação no RJTV, jornal fluminense da TV Globo. A declaração ocorreu no ano passado O caso foi noticiado pela coluna Janela Indiscreta, do Metrópoles.

Durante a celebração organizada pela Pastoral da Família, realizada no último domingo (13/6), o padre Paulo Antônio Müller chamou o profissional de “viadinho”, além de criticar a união homoafetiva, que estaria em desacordo com os dogmas religiosos. O caso ganhou repercussão após o ativista Antonio Isuperio, conhecido defensor de direitos humanos, publicar o trecho da missa em sua conta do Instagram (veja abaixo).

“Pega a Bíblia e olha o Livro Gênesis: Deus criou o homem e a mulher. Isso que é casamento. Que chame a união de dois viados e de duas lésbicas de qualquer coisa, mas não de casamento, por favor. Isso é falta de respeito para com Deus (sic). Isso é sacrilégio, é blasfêmia. Casamento é coisa bonita e digna. O sentimento do amor é entre homem e mulher, marido e mulher”, disparou o pároco.

Ainda no mesmo discurso com xingamentos sobre o afeto do casal de “ridículo”, o padre disse aos fiéis: “Por favor, que esta não seja a sua cabecinha também, tá? Nem do seu filho, nem da sua filha”.




Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%