11/06/2021 às 11h36min - Atualizada em 11/06/2021 às 11h36min

Mesmo com ajuda de prefeituras, empresa reivindica e tarifa do coletivo em Barra do Garças subirá para 4,00

A passagem custa 3,90 e aumento será votado na segunda-feira pela Cãmara Municipal. A alegação da empresa é que a pandemia afugentou os passageiros

Araguaia Notícia
O site Araguaia Notícia divulgou na manhã de sexta-feira (11/6) a decisão dos prefeitos de Barra do Garças, Adilson Gonçalves, e de Aragarças, Ricardo Galvão, de ajudarem mensalmente a empresa Garçastur com 30 mil reais durante 3 meses como uma alternativa para evitar que a empresa paralise com o seu serviço de transporte nos bairros mais distantes fato que prejudicaria as pessoas mais humildes.

Além do aporte dos municípios, a empresa reivindicou o reajuste da passagem de 3,90 para 4,00 que será votada nesta segunda-feira (14/6) pela Câmara Municipal de Barra do Garças através dos vereadores. A alegação do empresário Paulo Augusto é que o serviço de transporte coletivo está ‘quebrado’ devido a pandemia que afugentou os passageiros.
 
A empresa retornou nesta sexta com a linha que atende os bairros Ouro fino, Campinas, São João, Sena Marques, Jardim São Paulo, Abel lira e Wilmar Peres. O prefeito Adilson exigiu que todos os bairros distantes sejam atendidos e que a Garçastur divulgue os horários para comunidade se programar.

O aporte será dado da seguinte forma a empresa: 20 mil da prefeitura de Barra do Garças, 5 mil da prefeitura de Aragarças e mais 5 mil da Câmara Municipal de Barra do Garças.

A reunião que definiu essa situação foi realizada na quarta-feira (09/06) com a participação do Procurador Geral do município, Herbert Penze e dos secretários de Finanças e de Administração da Prefeitura de Barra do Garças, Fábio Tadeu Weiler e João Júnior e o proprietário da empresa de transportes Garçastur, Paulo Augusto Souza e o presidente da Câmara de Barra do Garças, vereador Pedro Filho, juntamente com os vereadores, Dr. Neto e Jairo Marques, para definir uma possível ajuda de custo emergencial que foi protocolada pela empresa, para tentar minimizar os prejuízos econômicos causados pela pandemia.
 
Na reunião também estiveram presentes representantes da Prefeitura de Aragarças, município goiano onde a empresa de transportes também opera.
 
A empresa Garçastur que atua no transporte público municipal protocolou recentemente o pedido de subsídio para que possa continuar atendendo a população da nossa cidade e também comunicou a Prefeitura a suspensão de algumas linhas durante a pandemia, já que o número de passageiros pagantes tem diminuído de forma significativa e o proprietário alega ter tido prejuízos financeiros neste período.
 
Pensando em solucionar este problema e evitar a suspensão de um serviço essencial, a Prefeitura de Barra do Garças encaminhará à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei de Subvenção Econômica Emergencial para ser votado pelos parlamentares na próxima segunda-feira (14/06).
 
Com a aprovação do Projeto de Lei, a Prefeitura de Barra do Garças em parceria com a Câmara de Vereadores e a Prefeitura de Aragarças oferecerão auxílio financeiro pelo período de 90 dias à empresa, evitando a suspensão de mais linhas de tráfego.
 
O Procurador Geral, Hebert Penze, enfatizou a importância de manter a operação do transporte público já que alguns moradores dependem exclusivamente dele para trafegar pela cidade.
 
“Nossos estudantes, idosos, aposentados e trabalhadores em geral não podem ser penalizados com a falta de transporte. Esse auxílio que vamos oferecer é uma forma de evitar futuras suspensões do serviço e não prejudicar os moradores de Barra do Garças e Aragarças.” explicou.
 
A empresa Garçastur também se comprometeu a reestabelecer as linhas que foram suspensas durante a pandemia, de acordo com a demanda de passageiros. Outra medida adotada para minimizar os prejuízos financeiros será o reajuste da tarifa que passará de R$3,90 para R$4,00 de acordo com o empresário esse aumento é simbólico e não compromete financeiramente os passageiros.
 
“É um reajuste pequeno devido aos anos em que não tivemos um aumento significativo na tarifa. Algumas pessoas já pagam esse valor de R$4,00, pois sabem que muitas vezes nossos colaboradores não tem moeda para o troco, então o passageiro entende. A nova tarifa também vai resolver esse problema na falta de moedas e evitar inconveniências”, afirmou Paulo Augusto durante a reunião.
 
O projeto ainda será enviado à Câmara de Vereadores para ser votado em caráter emergencial na próxima sessão. A Prefeitura de Barra do Garças espera que no prazo de 90 dias a situação da pandemia no país melhore com a vacinação da população e com a volta às aulas nas instituições de ensino assim a circulação de pessoas através do transporte público poderá voltar à normalidade.



 
 
 
 
 
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%