10/06/2021 às 11h53min - Atualizada em 10/06/2021 às 11h53min

Nesta sexta (11/6) sargento da Aeronáutica inicia desafio de pedalar 1.200 km de Cuiabá a São Felix do Araguaia

Ele vai cumprir o que um dia prometeu para si, como gesto de gratidão, retornando à sua terra natal pedalando uma bike

Araguaia Notícia
Reportagem: Antônio Mendes 

Na próxima sexta-feira, 11 de junho, João Luiz iniciará mais um desafio, desta feita são quase 1.200 km que separam a capital Cuiabá da acolhedora São Félix do Araguaia no Nordeste mato-grossense, cidade às margens do majestoso Rio Araguaia.

No trajeto Cuiabá/Barra do Garças (11 a 13/06) João Luiz terá a companhia de mais oito colegas. Já de Barra do Garças até São Félix a viagem será solitária, com previsão de saída no dia 15 e chegada em São Félix do Araguaia no dia 20 de junho as 11 horas.

Não se trata de “O pagador de promessas”, mas ele vai cumprir o que um dia prometeu para si, como gesto de gratidão por sua trajetória de vida, retornando à sua terra natal pedalando uma bike. Este, é o Sargento da Aeronáutica, João Luiz Barbosa da Silva, 49, casado, pai de dois filhos, natural de São Félix do Araguaia, filho do mecânico Valdé e da dona de casa Nelci Barbosa.

Na fase de criança para adolescência ele vendeu picolé para o Bar do Carlinhos, pastel para D. Maria do Dôra e engraxou sapatos na porta do Hotel Xavante, em São Félix do Araguaia. Quando então, pensando no futuro do filho, Valdé decidiu encaminhá-lo para Alta Floresta, cidade no Norte de Mato Grosso onde o adolescente João Luiz foi morar e trabalhar com um tio.

Ao completar 17 anos, foi alistado na Aeronáutica e selecionado. Já em Brasília, Distrito Federal, a “Cidade linda”, aquela que deixou o outro João (do Faroeste Caboclo), bestificado ao entrar de ônibus na Cidade do Planalto Central – como assim canta Legião Urbana; com o nosso João, personagem desta história, não foi tão diferente.

Sem parente nem aderente, o primeiro desafio segundo João Luiz se apresentou ao abrir-se a porta do avião, “o vento frio e seco” que soprava na Capital de todos os brasileiros naquele mês de junho. Começava ali, o primeiro capítulo desta história de superação. Sim, porque a introdução fora escrita lá em Alta Floresta quando seu tio o alistou no serviço militar.

Chegando ao quartel de infantaria da Aeronáutica as boas-vindas estavam estampadas numa placa fria, com a expressão BINFA, ou seja, “bem-vindo ao inferno azul”. Começava então, o período de adaptação ao serviço militar, era 1991. Mas João Luiz queria mais, e decidiu retomar os estudos, precisava concluir à época o segundo grau. A sua rotina foi então alterada, quartel durante o dia e escola à noite, para recomeçar tudo novamente às quatro e meia da manhã do dia seguinte.

Na carreira militar, o soldado João Luiz trabalhou no CINDACTA 1 em Brasília. Já em 1994 agora Cabo, foi trabalhar em um dos setores administrativos do Ministério da Aeronáutica. Almejando postos elevados João Luiz continuou sua rotina de trabalho e estudo. Em 1996 aprovado em concurso para sargento o jovem militar se especializou na área dos seus sonhos que sempre foi o controle de tráfego aéreo.

O agora Sargento João Luiz, tinha o desafio de aprender a comunicação básica em inglês. Desafio superado, eis que abre vagas para controlador de tráfego aéreo no aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. João Luiz não pensou duas vezes, arrumou as malas e retornou ao Estado de origem em dezembro de 1997.

De lá para cá, João Luiz especializou-se em controle de aproximação e radar, tornou-se encarregado da seção de instrução e por último, da seção de investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos. São 23 anos dedicados ao controle de tráfego aéreo no aeroporto Marechal Rondon.

Até agora, João Luiz tem contado com poucos patrocinadores. Em São Félix do Araguaia, a Drogaria São Félix, do empresário Delfino Alves, patrocina o pedal de 1.200 km. E assim, através da dedicação se materializa a promessa e o sonho do bom filho que à casa torna, no pedal, de bike.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%