07/06/2021 às 21h48min - Atualizada em 07/06/2021 às 21h48min

Empresário do som em Barra do Garças nos anos 80 e 90 é mais uma vítima da Covid

Araguaia Notícia
Os moradores de Barra do Garças, que estão hoje com 50 a 40 anos de idade, certamente vão lembrar do empresário Marks Aquino da Silva, de 57 anos, ou simplesmente Aquino do Som. Ele fez sucesso com a sonorização de eventos e festas na cidade nas décadas de 80 e 90.

Pois é, infelizmente, Aquino entra na estatística como mais uma vítima da pandemia. Ele faleceu na segunda-feira (7/6) no hospital HCamp de Goiânia onde estava internado desde o dia 30/5 devido a enfermidade.

A situação de Aquino, segundo a família, infelizmente foi muito rápida. Ao perceber os primeiros sintomas, ele procurou os médicos na cidade de Itaberaí-GO, onde estava morando há sete anos. Aquino recebeu medicamentos iniciais e começou a cumprir a quarentena em casa.
 
Só que ele passou mal e desmaiou em casa e foi novamente levado ao hospital com indicação de internação. Aquino foi transferido para São Luís Montes Belos-GO e no dia 30/5 para Goiânia onde já foi entubado.

“Foram oito dias de muito sofrimento para família”, conta Max Weber, que é radialista em Barra do Garças e irmão do Aquino ao comentar o drama do irmão que chegou em Goiânia com 65% dos pulmões comprometidos. E o pior aconteceu, o empresário do som não resistiu ao vírus e faleceu neste dia 7/6.

Depois de sair de Barra do Garças, Aquino morou por alguns anos em Piranhas-GO e na sequencia se mudou para Itaberaí. Todavia, foi aqui em Barra do Garças que ele brilhou fazendo o que mais gostava sonorização de festas e eventos com a equipe Marks Som. Ele fez sonorização também para a Banda Araguaia com Julinho, Serafim, Arlindo Sanfoneiro, Neguinho e Fernando Delmondes.

E vai ser em Barra do Garças, no jazigo da família, que Aquino será sepultado. O corpo do empresário saíra às 4 horas da madrugada de terça-feira (8/6) de Goiânia e haverá um cortejo de despedida saindo do Porto do Baé até o cemitério central a partir das 8 horas da manhã.

Aquino deixa a esposa Aline, filha do saudoso Zé Carbone, e filhos. Ficam aqui também as condolências para os irmãos do empresário: (são sete) mas três moram na Barra. Além do Max Weber, tem Auxiliadora, que atua na Educação; e a Tania, que trabalha com empresa de guincho.









 
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%