24/05/2021 às 09h11min - Atualizada em 24/05/2021 às 09h11min

Os laços da adoção

Apenas para uma referência da situação, há 432 crianças e adolescentes em instituições em 83 instituições sociais e abrigos no estado. Em 2020, apenas 34 crianças foram adotadas em Mato Grosso

Max Russi, deputado estadual e presidente da AL - MT
ARAGUAIA NOTÍCIA
Deputado estadual e presidente da AL-MT, Max Russi
A família é a unidade básica da sociedade, sendo estruturada de diversas formas e unida por laços de afetividade e amor. Mas e quando falta aquele elemento importantíssimo no núcleo familiar e sobra vontade de cuidar? Esse elemento é o filho que todo pai e toda mãe espera para que seu lar esteja completo. A resposta para o questionamento vem com outra pergunta, por que se adota tão poucas crianças em nosso estado? Se por um lado existe uma demanda de pais querendo filhos e não conseguindo, do outro há uma grande oferta de crianças em instituições querendo ter pessoas que zelem e deem o afeto que muitas vezes nunca tiveram. 

Apenas para uma referência da situação, há 432 crianças e adolescentes em instituições em 83 instituições sociais e abrigos no estado. Em 2020, apenas 34 crianças foram adotadas em Mato Grosso. Claramente vemos um descompasso nessa situação que prejudica todos os envolvidos. Se todos os envolvidos procuram a mesma resolução o problema fica fácil de resolver, temos que desburocratizar o sistema de adoções e criar pontes no lugar de muros. 

Em meu lar temos um exemplo de que a adoção vale a pena. Meu irmão, Lucas, foi adotado tardiamente mas isso não impediu que os laços do amor surgissem, tenho pais que tiveram a coragem de adotar e um irmão que teve a oportunidade de pertencer a uma família e o saldo disso tudo é fácil de calcular, todos ganharam. 

No dia 25 de maio comemoramos o Dia Nacional da Adoção, acredito que a construção de novas políticas públicas voltadas para a adoção poderá reforçar o combate às condições adversas enfrentadas pelas entidades, ressalto também a importância de ações para orientação quanto aos procedimentos impostos às famílias que desejam adotar crianças e adolescentes em Mato Grosso, muitas vezes desconhecido pelos maiores interessados. 

A mensagem que fica para mim, enquanto parlamentar, é que se podemos fazer política para melhorar a vida das pessoas isso tem que ser feito o quanto antes. Cada criança que é recebida em um lar se torna um cidadão melhor e mais estruturado, afinal família, independentemente de sua formação, é o sustentáculo do ser humano. 

Max Russi – Presidente da ALMT
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%