26/04/2021 às 20h28min - Atualizada em 26/04/2021 às 20h28min

Mauro Mendes alerta se o Estado pagar 'brigará feio para que a vacina fique em MT'

Ministério pode requisitar vacinas compradas por Estados; governador aguarda decisão da Anvisa sobre uso

Araguaia Notícia
O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou, na segunda-feira (26/4), que ainda aguarda o Ministério da Saúde decidir se irá ou não requisitar aos estados para que entreguem as doses compradas da vacina russa Sputnik V, para integrar o Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a Covid-19.

No entanto, o democrata salientou que apenas abrirá mão das 2,4 milhões de doses que seriam destinadas ao Estado se o Governo Federal efetivamente pagar pela compra.

“O ministro da Saúde [Marcelo Queiroga] manifestou interesse em pagar e requisitar, e eu também já disse que a nossa preferência é pagar e ficar com elas em Mato Grosso”, explicou.

“O Ministério da Saúde tem a prerrogativa [sobre as vacinas], desde que pague. Se nós pagarmos, vou brigar feio para que elas fiquem em Mato Grosso”, acrescentou.

O Ministério da Saúde tem a prerrogativa [sobre as vacinas], desde que pague. Se nós pagarmos, vou brigar feio para que elas fiquem em Mato Grosso

Mendes voltou a salientar que o contrato para a aquisição das doses já foi assinado e que ainda aguarda pela autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O prazo para o órgão se posicionar sobre o assunto expira nesta semana.

“Estamos no trâmite da liberação. A Sputnik não aceitou embarcar a vacina [para o Brasil] sem a liberação da Anvisa, porque poderia gerar desdobramentos indesejáveis. Então, prudentemente, eles se negaram e nós concordamos, porque ninguém quer criar esse tipo de confusão”, disse.

O governador voltou a salientar que não vê razão para que o uso da vacina russa seja barrado no Brasil, uma vez que o imunizante ja é usado em mais de 50 países e tem eficácia comprovada em 91%.

Segundo o Governo, o decreto orçamentário que garante a destinação dos recursos para a Secretaria de Estado de Saúde (SES) já foi publicado, garantindo assim a reserva dos recursos necessários para a aquisição dos lotes.

Recentemente, o governador afirmou que Mato Grosso poderá vacinar todas as pessoas acima de 30 anos em quatro meses, caso a vacina russa fique no Estado.


Notícias Relacionadas »
Comentários »