25/04/2021 às 17h58min - Atualizada em 25/04/2021 às 17h58min

Bope se despede do 'caveira 04' de Mato Grosso, vítima de infecção no sangue VEJA VÍDEO

O tenente-coronel de 43 anos foi sepultado na tarde de sábado em Cuiabá

Fabiana Mendes / Olhar Direto
ARAGUAIA NOTÍCIA
O enterro do tenente-coronel Carlos Evane Augusto, de 43 anos, aconteceu na tarde de sábado (24), e contou com a presença do comandante-geral da Polícia Militar, coronel José Jonildo Assis e do comando do Batalhão de Operações Especiais (Bope), tenente-coronel Ronaldo Roque da Silva. Na ocasião, todos puderam prestar suas últimas homenagens no Cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá.

Internado desde a quinta-feira (22) com quadro de infecção aguda no sangue, Evane passava por uma séria de exames para investigar a suspeita de leucemia. Nesta sexta-feira à noite, porém, a infecção se agravou e levou à paralisação dos rins e o oficial teve de ser intubado. Ele morreu pouco depois das 22hs.

Aprovado em concurso, Carlos Evane ingressou na PMMT em março de 2002 como soldado. Três anos depois fez um novo concurso, o vestibular para o Curso de Formação de Oficiais (CFO). Novamente aprovado, começou aí a carreira de oficial. Nesses 19 anos que serviu a sociedade mato-grossense, foi no Batalhão de Operações Especiais (Bope) onde atuou por mais tempo, quase 11 anos.

Nascido na cidade de Rio Branco, interior do estado, Carlos Evane era o ‘Caveira 04’, identificado assim por ser quarto policial a integrar a Tropa de Elite da PMMT. Além de compor as forças especiais em funções de negociador e atirador de precisão, era instrutor em cursos de formação policiais no Bope e em outras unidades das forças de Segurança Pública em Mato Grosso e de diversos estados.

Como coach (treinador), era um palestrante motivacional e de liderança requisitado por instituições privadas de diversas áreas, entre as quais bancárias e educacionais.

Casado, Evane deixa a esposa Renata Fernandes e o filho Murilo, de seis anos.


Notícias Relacionadas »
Comentários »