20/04/2021 às 17h35min - Atualizada em 20/04/2021 às 17h35min

Empresa ameaça parar coletivos devido escassez de passageiros em Barra do Garças

Araguaia Notícia
A crise da pandemia chegou ao transporte coletivo de Barra do Garças-MT, a maior cidade do Vale do Araguaia. A empresa detentora do serviço, Garçastur, está com dificuldades financeiras e admite a possibilidade de parar os coletivos devido à falta de passageiros e os custos operacionais que aumentaram durante a quarentena obrigatória.

O empresário Paulo Augusto em entrevista ao site Araguaia Notícia disse que já esteve com o prefeito de Barra do Garças, Adilson Gonçalves, e os vereadores ponderando as dificuldades da empresa. Ele alega que reduziu em 50% a frota que está rodando na cidade inclusive demitiu 50% dos funcionários porque não tem passageiros em quantidade para manter o funcionamento da empresa. Já são 14 meses de crise para Garçastur.

“Eu acredito que as pessoas estão com medo da pandemia e como pararam aulas e algumas atividades não tem aquela circulação de pessoas que havia antes. E a empresa não consegue custear a despesa sozinho. E por isso procuraram o Poder Público”, explicou.

Segundo Paulo Augusto ele enviou um ofício solicitando que a prefeitura subsidiasse a passagem de pessoas de baixa renda enquanto permanecer a pandemia e esse apoio seria quem sabe em combustível ou através de alguma forma legal.

Na próxima quinta-feira, às14 horas, tem outra reunião entre a Procuradoria da prefeitura e a empresa para buscar quem sabe uma saída para esse problema. “No oficio que recebi a prefeitura disse que não teria uma forma legal de ajudar a empresa. Porém em cidades maiores São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, o Poder Público está ajudando as empresas de transporte público com subsídio”, destaca Paulo Augusto.

O diretor da Garçastur disse que continua atendendo todos os bairros de Barra do Garças, mas com horários reduzidos e com apenas sete ônibus. A empresa tinha 59 funcionários e hoje opera apenas com 22. Os demais foram demitidos.

A folha de pagamento está em dia. Garçastur tem 49 anos de existência. Para ilustrar a entrevista, Paulo Augusto lembrou que óleo diesel aumentou 38 vezes em 2020 e em nove vezes em 2021 passando de 3,10 (em março de 2020) para atualmente 4,50 o litro em média.

A saída seria quem sabe a gratuidade para as pessoas de baixa renda. A Câmara Municipal está por dentro do assunto e busca uma solução entre executivo e empresa para que a cidade não fique sem transporte público.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

72.2%
26.1%
1.7%