06/04/2021 às 12h21min - Atualizada em 06/04/2021 às 12h21min

"Eu sou teimoso e herói em ficar aberto", diz empresário do Araguaia ao comentar fechamento de frigorífico de GO

Sávio comentou a decisão tomada pelo Frigol de Cachoeira Alta que fechou e mandou 413 funcionários embora

Araguaia Notícia
O empresário Sávio Carvalho, ex-vereador de Barra do Garças e dono do Frigorífico Nova Carne de Nova Xavantina, comentou a decisão do frigorífico Frigol de Cachoeira Alta-GO que fechou as portas e demitiu 413 funcionários alegando que o negócio está difícil de ser mantido atualmente.

Segundo Sávio, durante entrevista ao jornalista Ney Welinton, do site Alô Xavantina, realmente é isso mesmo. "Esta atividade esta muito ruim neste cenário nacional, eu que é que sou teimoso, senão já tinha feito a mesma coisa. Na verdade, estou sendo um herói', destacou. Apesar das dificuldades, Sávio mantém sua unidade aberta e gerando empregos e até mesmo abastecendo as cidades da região como Barra do Garças. 

Em comunicado, Frigol destaca que a decisão ocorre em meio à baixa oferta de animais prontos para abate e mercado interno fraco, cuja decisão costa na reportagem da Revista Globo Rural. 

Diante da baixa oferta de boi gordo e da fraca demanda interna, o Frigol, quarto maior frigorífico de abate de bovinos do país, anunciou nesta segunda-feira (5/4) que encerrará suas atividades em Cachoeira Alta, interior de Goiás. A empresa mantinha uma unidade arrendada na cidade com capacidade de abate de até 80 animais por hora e que vinha apresentando resultado negativo nos últimos anos – o que se agravou no atual contexto da pecuária. O fechamento levará à demissão de 413 funcionários que atuavam na operação.

“A decisão de encerrar nossas atividades em Cachoeira Alta foi baseada exclusivamente em análises técnicas. Não há qualquer relação com questões de ordem governamental de qualquer esfera. Em especial, sempre contamos com o apoio das autoridades locais, focadas em manter equilíbrio econômico de região. No entanto, a conjuntura de mercado atual não nos permitiu continuar com a operação”, afirmou, em nota, o diretor de operações da companhia, Orlando Negrão.

Segundo a empresa, os colaboradores de empresa que tiverem interesse em trabalhar em uma das suas três unidades próprias serão readmitidos sem a necessidade de processo seletivo. Os demais receberão apoio para recolocação no mercado de trabalho ao longo dos próximos 30 dias.

Com um abate anual estimado em 180 mil toneladas de bovinos e sete mil toneladas de suínos, a Frigol também mantém operações em Lençóis Paulista (SP), São Félix do Xingu (PA) e Água Azul (PA), onde possui estrutura própria de produção com “várias habilitações para exportação para diferentes mercados”.

Após a devolução do galpão arrendado em Goiás, daqui 90 dias, a empresa concentrará seus abates nessas unidades, deslocando parte dos animais adquiridos de pecuaristas de Cachoeira Alta para a planta de São Paulo. “A decisão é fruto de criteriosa e detalhada análise do portfólio de seus ativos operacionais, diante um quadro estrutural de severa restrição na oferta de animais prontos para abate em combinação ao enfraquecimento da demanda no mercado interno, que levaram a empresa a aumentar seu foco no mercado externo”, completa a empresa em nota.

Conversei com o empresário Savio Carvalho sobre esta noticia publicado na revista Globo Rural, ele que é proprietário do Frigorifico Nova Carne em Nova Xavantina e Sávio respondeu dizendo o seguinte:”  Esta atividade esta muito ruim neste cenário nacional, eu que sou teimoso, senão tinha feito a mesma coisa. Na  verdade, estou sendo um herói.”

Com informações da Revista Globo Rural e site Alô Xavantina


Notícias Relacionadas »
Comentários »