27/03/2021 às 16h40min - Atualizada em 27/03/2021 às 16h40min

Cadeirante que abriu fogo contra policiais morreu baleado e não de infarto, segundo perícia

Wesley Santiago / Olhar Direto
ARAGUAIA NOTÍCIA
O cadeirante Antônio Simão Martins, 50 anos, que abriu fogo contra policiais em via pública, no município de Barão de Melgaço, na terça-feira (23), não morreu de infarto, como havia sido divulgado anteriormente. Ele foi baleado durante a troca de tiros com as equipes da Polícia Militar.

No dia da ocorrência, o cadeirante estava efetuando vários disparos de arma de fogo em via pública na região central de Barão de Melgaço, sendo a Polícia Militar acionada para atender a ocorrência.

No local, os policiais tentaram verbalizar com o suspeito, porém ele continuou efetuando os disparos em diversas direções, inclusive contra os policiais militares, que tiveram que esconder atrás da viatura.

Os policiais continuaram a verbalização com o suspeito para que ele soltasse a arma, porém o pedido não foi atendido, o que fez com que os agentes de segurança efetuassem um disparo. Durante o atendimento da ocorrência, a vítima sofreu um infarto, dado naquele momento como a causa da sua morte.

Uma familiar procurou o Olhar Direto e informou que a perícia encontrou um prójetil (.22) que entrou pela axila e ficou alojado próximo ao coração. Ainda segundo ela, o homem estava muito doente e fora de si.

Assim que a equipe da Polícia Civil de Santo Antônio do Leverger (responsável pela investigação de ocorrências em Barão de Melgaço) foi acionada sobre os fatos, o delegado Adalberto Antônio de Oliveira, imediatamente acionou a equipe da Perícia Oficial e Identificação Técnica para atendimento de local de crime.

O corpo da vítima que encontrava-se no hospital da cidade foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Cuiabá e exame de necrópsica, que apontou como causa da morte, o disparo de arma de fogo, possivelmente efetuados pelos policiais durante atendimento da ocorrência.

O inquérito policial instaurado na Delegacia de Santo Antônio do Leverger para esclarecimento dos fatos  está em andamento.

O delegado ouvirá testemunhas que estava no local no momento da ocorrência, assim como os policiais envolvidos na ação com o instuito de apurar detalhadamente como se deram os fatos e todas as circunstâncias do caso. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.4%