27/03/2021 às 16h18min - Atualizada em 27/03/2021 às 16h18min

Prefeito não descarta novo lockdown caso população não siga os protocolos de saúde

Araguaia Notícia
O prefeito de Confresa, Rônio Condão, solicitou um espaço na Rádio Conti na noite de quarta-feira (dia 24/3), onde compareceu juntamente com a diretora da UPA, Antônia Lucilene, e o secretário de saúde do município, Elton Messias, para explicar que a situação da saúde na cidade e no estado está se encaminhando para um colapso iminente.

A coletiva começou com o Secretário da Saúde anunciando que o sistema de saúde da cidade está próximo de entrar em colapso por diversos fatores, como dificuldade para repor o estoque de remédios, quantidade e exaustão dos profissionais envolvidos na linha de frente de combate ao Covid, e principalmente pelo alto consumo de oxigênio pelos pacientes internados atualmente.

A diretora da UPA esclareceu logo em seguida que o motivo desse alto consumo de insumos se deve ao número de pacientes atendidos pelo Centro de Atendimento para Enfrentamento ao Covid - o CAEC: 16 pacientes estão internados atualmente, sendo alguns deles em estado grave, esperando vagas na UTI para poderem ser transferidos. Dois pacientes estão entubados, e nos próximos dias o hospital pode ficar sem se o número de pacientes internados não diminuir.

O secretário de saúde aproveita para esclarecer que outro insumo que está com quantidade em escassez é o sedativo, que é utilizado no processo de intubação dos pacientes em estado mais greve, antes de serem colocados no respirador. O problema não é dinheiro para comprar mais, disse Elton, e sim a falta de estoque nas próprias fornecedoras, que precisam atender todas as cidades da região, e também dos outros estados, sem mencionar ainda a rede particular de saúde.

Após fala do secretário, o prefeito Rônio Condão desabafa falando que a situação está caótica, que o hospital está superlotado, e que as empresas não conseguirão suprir a necessidade atual dos remédios e oxigênio – demanda essa que dobrou em relação há meses atrás - do município se a quantidade de casos não diminuir nos próximos dias.

Segundo Rônio, que apoiou a iniciativa do governador Mauro Mendes (DEM) em adotar a antecipação de feriados para instituir um “lockdown branco”, a medida super restritiva não seria um milagre que resolveria todos os problemas e curaria todos os doentes, mas que a intenção do distanciamento social absoluto e fechamento do comércio é diminuir o número de ocupantes do hospital, e desafogar a crise iminente que a saúde está caminhando em direção.

Frente a essa situação, Rônio esclarece que caso a população não o ajude a tomar cuidados básicos para conter o número cada vez mais crescente de infectados, um novo lockdown será estabelecido novamente no município. 

Fonte: Agencia da Notícia c/ Assessoria 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%