20/02/2014 às 18h53min - Atualizada em 20/02/2014 às 18h53min

A maior apreensão de pasta-base de cocaína do Brasil foi adquirida em MT

Olhar Direto
Goiás Net

Os 452 quilos de pasta-base de cocaína, apreendidos domingo (16) em Aragarças-GO, foram adquiridos em Mato Grosso na cidade de Primavera do Leste e seriam transformados em crack para serem vendidos durante o carnaval em Goiânia. Essa informação foi repassada pelo delegado-adjunto da Delegacia de Repressão a Narcóticos (Denarc), Alécio Moreira de Sousa Júnior, durante coletiva na capital goiana (18), sobre essa que foi a maior apreensão de pasta-base de cocaína do país.

A polícia esperou dois dias para dar mais detalhes da operação porque havia expectativa de pegar mais pessoas envolvidas com carregamento. A droga estava sendo transportada por Erly de Rezende, 54 anos, como batedor. E Vando Célio Pereira dos Santos, 37 anos, estava como batedor.

Os policiais goianos sabiam do carregamento e estavam monitorando os suspeitos desde o momento que saíram de Goiânia para pegar a encomenda em Primavera do Leste e quando estavam retornando foram presos ao atravessaram a divisão no município de Aragarças.

“Para cada quilo de pasta-base podem ser produzidos dez quilos de crack. Um quilo de crack tem, em média, 3 mil pedras. Isso quer dizer que essa pasta-base daria para produzir 1.353.000 pedras de crack para consumo em Goiânia e algumas cidades do interior”, explicou o delegado durante a coletiva. Segundo ele, uma pedra é vendida a 10 reais.

Os dois traficantes pegaram a droga em Primavera do Leste. Eles foram, cada um em uma Hillux, que foram emplacadas em Barra do Garças (MT), para não chamar a atenção da polícia mato-grossense.

No domingo, quando já estavam com a droga em Primavera, os dois traficantes foram seguidos por carros descaracterizados do Dernac até retornarem a solo goiano quando foram presos. Eles possuíam nos carros scanner de freqüência de rádio e os policiais evitaram o uso de rádio para não frustrar a operação.

Com Erly, os policiais civis apreenderam uma pistola Glock, calibre 380 carregada e um carregador do mesmo calibre. Na caminhonete conduzida por ele foram onze fardos com 440 tabletes de pasta-base de cocaína.

Segundo o delegado, o trabalho agora é investigar se a droga tinha um único dono ou se vários traficantes de Goiânia quotizaram o transporte da droga. “Alguns fazem isso porque, no caso de apreensão, todos perdem”. Segundo ele, alguns traficantes chegam a misturar anestésicos para cavalos na droga com menor grau de pureza. Cada barra apreendida de pasta-base é vendida a R$ 15 mil e pode render ao traficante até R$ 50 mil, dependendo da mistura utilizada e do tipo de droga que ela foi transformada.

Os dois homens flagrados pela Denarc podem ser condenados a uma pena de até 45 anos de prisão. A droga, supostamente, foi comprada por R$ 7,5 milhões e renderia aos traficantes, R$ 80 milhões.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%