19/03/2021 às 15h42min - Atualizada em 19/03/2021 às 15h42min

Polícia Civil de 38 anos é mais uma vítima da Covid em MT

Araguaia Notícia
A Polícia Civil de Mato Grosso tem nesta sexta-feira (19.03) mais um dia de luto e tristeza com a perda de mais um guerreiro da instituição para o covid-19. O investigador de polícia, Glauco Alves de Franca, de 38 anos, lotado na Delegacia de Araputanga morreu durante a madrugada na cidade de Cáceres.

O policial começou a apresentar os primeiros sintomas no dia 10 de março, precisando ser internado no Centro de Tratamento de Covid de Araputanga na madrugada do dia 14. Durante o tratamento, houve grande piora em seu quadro de saúde, sendo necessário transferi-lo para a Unidade de Tratamento Intensivo, porém, por falta de vagas, aguardava na fila de espera.

Diante de nova piora, Glauco foi levado para o Hospital Regional de Cáceres, porém não resistiu ao agravamento da doença e morreu na madrugada desta sexta-feira. O policial que entrou na instituição no ano de 2008 é lembrado pelos colegas como uma pessoa dedicada ao serviço e também pelo seu grande carisma e companheirismo.

“A Delegacia de Araputanga está de luto hoje. Ainda que tenha sido vencido por esta doença, Glauco será sempre lembrado pelo seu comportamento em serviço, onde, além de ser pessoa companheira e carismática, cumpria com afinco suas funções”, disse o delegado de Araputanga Herbert Yuri Figueiredo Rezende.

O delegado-geral, Mário Dermeval Aravechia de Resende, lamentou a morte do investigador e disse que a Polícia Civil está fazendo o possível para dar todo o suporte necessário à família neste momento de imenso sofrimento. “Infelizmente hoje recebemos mais uma triste notícia da perda de um guerreiro que encerrou a carreira em decorrência do Covid. Neste momento deixamos o nosso agradecimento por todo trabalho e dedicação prestados à instituição”, disse.

Nos últimos dias a Polícia Civil teve outras duas perdas na instituição em razão da doença: o investigador Marco Aurélio Almeida, 43 anos, da Delegacia Regional de Alta Floresta, e investigador Odiney Osvaldo Carvalho de Assunção, 52 anos, da Delegacia de Pontes e Lacerda
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%