16/03/2021 às 21h14min - Atualizada em 16/03/2021 às 21h14min

Mauro Mendes buscará outros poderes para ampliar auxílio emergencial

Khayo Ribeiro / Gazeta Digital
ARAGUAIA NOTÍCIA
O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, afirmou que buscará a ajuda de órgãos de outros poderes para a manutenção do programa Ser Família Emergencial, a fim de que o projeto possa ter "mais amplitude".

Conforme divulgado pela reportagem, o governador lançou o programa oficialmente durante transmissão ao vivo nas redes sociais do governo na tarde desta terça-feira (16).

O projeto, idealizado pela primeira-dama, Virgínia Mendes, atenderá a 100 mil famílias mato-grossenses com cartões de compra no valor de R$ 150 durante 3 meses.

Inicialmente, foram aportados R$ 45 milhões para o projeto, dos quais R$ 35 milhões são oriundos da Fonte 100 e os outros R$ 10 milhões do duodécimo da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Ao ser questionado sobre o fato de apenas o Legislativo ter contribuído com o projeto, Mendes apontou que nenhum diálogo foi construído com os órgãos independente do Executivo. Contudo, assegurou que irá sentar com representantes de todos os poderes para estender o programa, caso seja necessário.

"Inicialmente, não houve essa conversa. Talvez por estarmos mais próximos aqui, o Executivo e o Legislativo, no dia a dia, de muitas decisões que temos que tomar existe uma ligação muito mais próxima porque grande parte daquilo que precisamos decidir depende de matéria normativa", apontou Mendes.

"E aí houve essa interlocução mais próxima e a Assembleia se propôs a ajudar. Mas, pode ter certeza que iremos falar com todos os poderes e órgãos autônomos. Se tivermos a ajuda deles também, esse programa poderá se estender ou ter mais amplitude nos próximos meses se necessário em Mato Grosso", reiterou o governador.

Ser Família Emergencial

O programa, segundo a secretária de Estado de Assistência Social e Cidadania, Rosamaria de Carvalho, atenderá a maior parte das famílias em situação de vulnerabilidade no estado.  

Dados apresentados pela gestora apontam que Mato Grosso tem 132 mil lares de baixa renda, dos quais 100 mil serão atendidos pela ação.  

A seleção das famílias será feita via Cadastro Único, do Ministério da Cidadania. Segundo o governo, aqueles que fraudarem dados para recebimento indevido durante o programa serão penalizados.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.4%