11/02/2014 às 16h13min - Atualizada em 11/02/2014 às 16h13min

Policiais federais fazem manifestação na presença de representantes da Copa em Cuiabá

Olhar Direto
Darwin Júnior - Olhar Copa

Mais de 20 agentes federais realizaram uma manifestação em frente ao hotel Holiday Express, onde estão reunidos o representante do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo, Ricardo Trade e Ricardo Freire e autoridades do Estado e do município, nesta terça-feira (11). A intenção dos manifestantes denunciar aquilo que chamam de sucateamento da categoria, que ameaça entrar em greve durante a Copa deste ano. O encontro foi aberto pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo que já deixou o local.

O ato marca o primeiro dia de paralisação da categoria que está insatisfeita com o tratamento dado pelo Governo Federal. Durante o protesto, eles encenaram a categoria em uma UTI, representada por um boneco na maca, um enfermeiro e um padre.

O objetivo principal dos agentes é que a insatisfação do grupo seja vista pelo ministro e representante do COL, que nesta manhã estiveram em uma reunião de portas fechadas, com o secretário extraordinário da Secopa, Maurício Guimarães.

Dentre as reivindicações está a reformulação do Plano de Cargos Carreiras e Salários (PCCS) e a realização de concurso público. Por ser ano eleitoral, o plano de cargo e carreira deve ser sancionado antes do dia 4 de abril.

Em todo estado existem apenas 320 agentes federais, um número que não representa nem a metade da quantidade necessária, segundo o escrivão Paulo Gomes, um dos membros do Sindicato dos Polícias Federais em Mato Grosso (Sinpef). "O essencial seria a 900 agentes para atender as demandas de um estado que tem umas das fronteiras mais vulneráveis do país”, reclama.

Dessa forma, realização de um novo concurso público poderia sanar com o déficit de pessoal. “Existe um processo em andamento, porém esses novos agentes vão apenas substituir agentes que estão aposentando, ou saindo por alguma outra razão”, criticou Paulo.

Além da paralisação desta terça-feira (11), os agentes irão suspender as atividades nos dias 25 e 26 de fevereiro e 11,12 e 13 de março. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.4%
1.4%