03/03/2021 às 12h38min - Atualizada em 03/03/2021 às 12h38min

Pastores querem igrejas fora do toque de recolher

Gazeta Digital
ARAGUAIA NOTÍCIA


Pastores da Associação dos Ministros do Evangelho (AME) de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá) cobraram a Câmara de Vereadores na terça-feira (2) para que as igrejas evangélicas não sejam atingidas pelo toque de recolher imposto pelo decreto estadual. Nesta quarta-feira (3), somente serviços essenciais funcionam a partir das 19 horas.

Os líderes religiosos pediram que o decreto seja flexibilizado na cidade, pois a restrição de 50 pessoas por evento - incluindo os cultos -, além de horário máximo das 19 horas é alvo de questionamento das igrejas.

Outra solicitação dos pastores foi a criação de uma lei para tornar as igrejas serviços essenciais, para que assim possam funcionar após o horário do toque de recolher.

Pelo decreto, só poderão funcionar no período noturno e após o meio-dia nos fins de semana farmácias, postos de combustíveis e unidades de saúde. Quem descumprir a medida está sujeito a multas e outras sanções.

O presidente da Câmara de Rondonópolis, Roni Magnani (SD) ouviu os pedidos dos líderes religiosos, mas reforçou que o decreto é estadual e que para realizar alterações será realizada uma articulação com a Bancada Federal de Mato Grosso. Sobre a lei para tornar igrejas serviço essencial, será estudada a legalidade desse tipo de lei. (Com informações da assessoria). 

Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%