28/02/2021 às 18h04min - Atualizada em 28/02/2021 às 18h04min

Vídeo mostra fila de ambulâncias em hospital de VG e comprova caos pandêmico

Autor de vídeo pede para que pessoas fiquem em casa

Folhamax
ARAGUAIA NOTÍCIA

https://www.youtube.com/watch?v=C2tfzG0w5pA&feature=emb_logo
Um internauta gravou um vídeo na frente do Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, mostrando uma intensa movimentação de âmbulâncias que chegam a fazer filas na frente da unidade destinada ao tratamento de pacientes infectados pela Covid-19 na 2ª maior cidade de Mato Grosso.

Na gravação, que circula nas redes sociais e grupos de WhatsApp, ele faz um alerta à população para que se cuide e fique em casa, porque os hospitais não estão tendo mais vagas para receber pacientes com Covid. 

"Metropolitano nesse momento pessoal, se cuidem, vamos parar de sair pra rua. Além dessas quatro que vocês estão vendo ai, estou aqui desde cedo, várias ambulâncias já chegaram aqui. Cuiabá não está tendo vaga mais", diz o autor da gravação feita na manhã deste sábado (27). Assista ao vídeo no final do texto.

Os dados divulgados diariamente pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), confirmam a gravidade do problema, pois na tarde de sábado, a taxa de ocupação das Unidades de Tratanto Intensivo (UTIs) adulto era de 87,11% e de 41% para enfermarias adulto. O boletim mais recente apontou que Mato Grosso já confirmou 5.786 mortes em decorrência da Covid-19 e 250.526 pessoas já foram infectadas pela doença. 

Inclusive, o governador Mauro Mendes (DEM) já marcou para esta segunda-feira (1º de março) uma série de reuniões com os chefes dos demais poderes e com os prefeitos das 141 cidades de Mato Grosso, para debater medidas mais duras para conter o avanço da pandemia. 

A tendência é que ele tente obter um consenso com todos os gestores para decretar "quarentena" em todo o Estado, pois diante da lotação máxima das UTIs de hospitais públicos e partiulares não há outra saída a não ser endurecer as regras para que a população evite se aglomerar e descumprir decretos e medidas de biossegurança como vem ocorrendo rotineiramente. Inclusive, o governador Mauro Mendes (DEM) já marcou para esta segunda-feira (1º de março) uma série de reuniões com os chefes dos demais poderes e com os prefeitos das 141 cidades de Mato Grosso, para debater medidas mais duras para conter o avanço da pandemia. 

Em Rondonópolis, por exemplo, que é o terceiro maior município do Estado, não há mais vagas em UTI desde a última quinta-feira (25), o que levou o prefeito José Carlos do Pátio (SD) anunciar novas medidas restritivas para tentar conter o aumento de casos de Covid-19 na cidade. Uma das medidas foi o toque de recolher com as atividades fechadas no horário compreendido entre às 22h e 5h, incluindo postos de combustíveis. Também ficará limitada a 30% da capacidade, a lotação em restaurantes, bares, igrejas entre outros.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.6%
19.3%
73.5%