11/02/2021 às 11h28min - Atualizada em 11/02/2021 às 11h28min

Inquilina torturou e matou idosa para pegar senha de cartão e roubar R$ 150 mil, diz polícia

Segundo a investigação, suspeita, que havia alegado legítima defesa, acabou confessando crime. Neta da dona da casa cobra a punição da mulher detida: 'Espero que fique presa'.

G1 GO
Araguaia Notícia
A inquilina presa suspeita de torturar e matar a pauladas Lina Elias Correia, de 84 anos, em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, cometeu o crime para roubar R$ 150 mil da vítima, segundo a Polícia Civil. Identificada como Keila Clemente Siqueira, de 42 anos, a moradora confessou ter matado a idosa.

O G1 não conseguiu localizar a defesa da investigada até a última atualização desta reportagem.

Lina Elias Correia foi encontrada morta dentro de casa na última segunda-feira (8), na Vila Perpétuo. Inicialmente, a inquilina havia alegado legítima defesa, mas, de acordo com o delegado Vicente Stabile, responsável pelo caso, a história dela não procedia.

Segundo ele, a motivação foi uma tentativa de roubo. "A gente a prendeu por latrocínio. O local estava todo revirado, onde a vítima morava”, afirmou.

De acordo com a polícia, a suspeita disse que torturou a idosa para pegar o cartão e a senha dela, pois, de acordo com ela, a vítima tinha R$ 150 mil no banco.

Neta da vítima, Tamiris Elias conta que o velório não foi liberado, porque a avó estava completamente machucada.

“Nós queremos justiça (...). Espero que ela fique no mínimo 20, 30 anos presa, por tudo que ela fez a minha avó passar, porque a gente não pode nem imaginar tudo o que aconteceu dentro dessa casa com ela sozinha e sendo torturada”, comentou.

De acordo com o major da Polícia Militar Gustavo Rocha, a inquilina provavelmente utilizou um bastão de madeira para bater na idosa. Tamiris disse que a avó e a inquilina nunca tiveram qualquer desavença antes do crime.

“A inquilina conseguiu conquistar a amizade da minha avó. Até então, elas não tinham nenhum tipo de discussão, nunca tiveram nenhum tipo de briga”, disse.

A suspeita já tem passagens pela polícia por lesão corporal, desacato e receptação. Até a noite de quarta-feira (10), ela continuava detida em um presídio da cidade. A Polícia Civil investiga a participação de dois homens no crime.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.4%
5.3%
18.2%
75.2%