13/01/2021 às 22h26min - Atualizada em 13/01/2021 às 22h26min

Presidente do Indea nega que tenha cometido assédio sexual e pede apuração

Araguaia Notícia
Marcos Catão Dornelas Vilaça, presidente do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) que foi acusado de assédio sexual por uma ex-servidora, negou que tenha cometido qualquer ato de assédio ou importunação sexual contra a vítima. Ele disse que buscou a Delegacia da Mulher para ter acesso à denúncia e ser ouvido, e também a Corregedoria para que o caso fosse apurado, mas não obteve resposta.

O presidente do Indea confirmou que o boletim de ocorrência foi registrado junto à Delegacia da Mulher de Cuiabá em 16 de novembro de 2020, quando a servidora pediu exoneração alegando importunação sexual. Segundo o documento, a vítima trabalhava com o presidente, sendo necessário entrar diversas vezes em sua sala para servir café, mostrar o cardápio e outras atividades alheias.
 
O assédio sexual teria acontecido em um dos dias em que ela precisou entrar na sala para repor as garrafas d’água, quando ele passou a dar investidas verbais, realizando também ato obsceno. Mesmo com a situação, a vítima foi trabalhar no dia seguinte, mas só tomou coragem para fazer uma denúncia após relatar ao seu pai o que aconteceu.
 
Marcos Vilaça disse ter sido surpreendido com a denúncia. Ele afirmou que procurou a Delegacia da Mulher em dezembro do ano passado, buscando cópia da denúncia e o direito de ser ouvido, mas não obteve resposta. Disse também que buscou a Corregedoria para que fosse aberto procedimento para apurar a denúncia, mas também não obteve resposta. Ele nega que tenha cometido qualquer ato de assédio contra a ex-servidora.
 
Leia mais:
 
NOTA DE ESCLARECIMENTO
 
Na qualidade de advogado do Sr. Marcos Catão Dornelas Vilaça, presidente do INDEA/MT, venho esclarecer que o mesmo foi surpreendido com a denúncia formulada pela Srta. F.C.B.A., em 16 de novembro de 2020 junto à Delegacia da Mulher de Cuiabá, quando também pedira exoneração do cargo de Assessoria Técnica III do INDEA, alegando importunação sexual.

No início de dezembro Marcos requereu junto a Delegacia da Mulher cópia integral da denúncia e o direito de ser ouvido, não tendo obtido nenhuma resposta até a presente data.

Também requereu junto à Corregedoria que fosse aberto um procedimento para investigar a denúncia da Assessora, não tendo obtido nenhuma resposta até hoje.

O Sr. Marcos tem a consciência tranquila de que nunca cometera qualquer ato de assédio ou importunação sexual contra quem quer que seja, tendo agido sempre com respeito e hombridade nas relações com os demais servidores do INDEA, do qual é servidor de carreira.

Aguarda sereno ser convocado para depor na Delegacia da Mulher e ter os fatos investigados na seara criminal e administrativa, quando sua inocência será declarada.
Cuiabá, 11 de janeiro de 2021.
 
FRANCISCO ANIS FAIAD
OAB/MT 3.520

Fonte: Vinicius Mendes / Olhar Direto 


Notícias Relacionadas »
Comentários »