23/12/2020 às 00h46min - Atualizada em 23/12/2020 às 00h46min

Polícia Civil investiga suposto esquema de venda de certificados falsos



A Polícia Civil instaurou inquérito policial para apurar um suposto esquema de venda de certificados falsos, para uso em teste seletivo de contratação pessoal da Prefeitura Municipal em Alta Floresta, a 803 km de Cuiabá. 

A investigação foi aberta após os fatos serem noticiados à Delegacia de Polícia de Alta Floresta na última quarta-feira (16.12), por meio de um relatório da CGM/AF apontando as irregularidades.

O inquérito policial foi instaurado para apuração da venda de certificados falsos de cursos de qualificação profissional e de publicação de artigos científicos utilizados para a contagem de pontos no processo seletivo de contratação de Professor, Técnico de Desenvolvimento de Educação Infantil, Apoio Administrativo Educacional e Técnico de Administração Educacional realizado pela Secretaria Municipal de Educação de Alta Floresta.

A Controladoria Geral do Município recebeu várias denúncias de diretores de escolas desconfiados da venda de certificados para a contagem de pontos no processo seletivo da Secretaria Municipal de Educação, o que permitiria maior pontuação e melhor classificação aos pretensos candidatos.

Diante dos fatos o delegado da cidade, Vinícius de Assis Nazário, representou pela medida cautelar probatória de busca e apreensão na residência de uma das suspeitas, de 49 anos, sendo apreendidos documentos e aparelhos eletrônicos como computador e celular que serão periciados.

“Durante a busca foi encontrado material probatório, suficiente para demonstrar a venda de certificados de publicação de artigos científicos para uso no processo seletivo, e ainda, a venda de artigos e trabalhos de conclusão de curso para estudantes universitários de Alta Floresta e região”, disse.

Segundo o delegado, os envolvidos poderão responder por crimes como falsidade ideológica, falsidade documental e uso de documento falso, a depender da forma como os documentos foram utilizados.

As diligências investigativas seguem em andamento para a conclusão do inquérito e contam com a participação institucional da Controladoria Geral do Município de Alta Floresta e do Ministério Público.A busca e apreensão foi realizada pela autoridade policial, delegado Vinícius de Assis Nazário e investigadores Natália dos Santos Furini, Lindiomar Santos Pereira e Rodrigo Piloni. 

Fonte: PJC-MT

Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.6%
75.2%