21/12/2020 às 18h05min - Atualizada em 21/12/2020 às 18h05min

Suspeito de matar dois em acidente, filho de ex-prefeito é solto após pagar fiança de R$ 10 mil

Segundo a polícia, ele estava bêbado, em alta velocidade e não tinha autorização para dirigir. Vídeo mostra o momento da batida.

G1 GO
Araguaia Notícia
Filho do ex-prefeito de Itumbiara, Luiz Augusto Gomes da Rocha, de 19 anos, foi solto do presídio após pagar fiança de R$ 10 mil. Ele é suspeito de dirigir bêbado, sem habilitação e provocar um acidente de trânsito que matou duas pessoas. Um vídeo mostra o momento da batida.

A defesa de Luiz Augusto disse apenas que está acompanhando o processo, tomando as ações necessárias e que não pode dar mais informações sobre o caso.

Luiz Augusto é filho de José Gomes da Rocha, político que foi assassinado durante uma carreata em 2016. O jovem foi preso na sexta-feira (18), após a batida. Uma câmera de segurança registrou quando um carro em alta velocidade bate na lateral de outro veículo, que é empurrado por alguns metros.

Cleiton Eduardo Batista, de 44 anos, dirigia o carro que foi atingido. Ele morreu na hora. Uma adolescente de 15 anos que estava no veículo que teria causado a batida chegou a ser socorrida, mas morreu em seguida. A identidade dela não foi divulgada.

Outras três pessoas ficaram feridas e foram levadas para um hospital. Os nomes não foram informados e, com isso, a reportagem não conseguiu o estado de saúde delas nesta segunda-feira (21). Também não foi divulgado em quais carros os feridos estavam.

Soltura

Luiz deixou o presídio no domingo (20). Ele não é monitorado por tornozeleira eletrônica, mas precisará comparecer a todas as etapas do processo e não se mudar sem autorização judicial.

O juiz Sílvio Jacinto Pereira argumentou em sua decisão de que o jovem é réu primário, estudante e que a prisão antes do julgamento deve ser exceção.

“Não se discute quanto à ocorrência dos crimes imputados, contando-se ainda com fortíssimos indícios de autora. Contudo, não se conta com evidências concretas e seguras de que a liberdade do indiciado trará risco à ordem pública, ao cumprimento da lei penal, à instrução criminal ou à ordem econômico-financeira”, disse no documento.

Além disso, o juiz apontou que a liberdade de Luiz Augusto não coloca em risco as investigações e não há indícios de que ele vá fugir. Por fim, apontou que há uma superlotação no presídio e, com a pandemia de Covid-19, é ainda mais indicado que ele responda ao processo em liberdade.

Sem CNH e suspeita de embriaguez

O delegado Ricardo Chueire, responsável pela prisão em flagrante, indiciou o jovem por homicídio doloso, que é quando se assume o risco de morte.

“Não é habilitado, estava em velocidade excessiva e estava extremamente embriagado. Não fez o bafômetro, mas testemunhas indicam isso e foi lavrado o termo de alcoolemia, que também mostra que ele estava com sinais de embriaguez. O médico, no exame de corpo de delito, anotou isso também. O carro tinha muitas latas de cerveja”, disse.

O delegado afirmou que, em sua carreira, nunca havia visto um acidente dentro da cidade tão grave e, por isso, autuou Luiz Augusto por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

"Foi o acidente de trânsito em via urbana mais grave que eu já vi em 17 anos. O fato foi tão grave que ele foi enquadrado no Código Penal e não no de Trânsito. Ele assumiu o risco de produzir esse resultado", afirmou.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.4%
17.7%
75.2%