07/12/2020 às 19h41min - Atualizada em 07/12/2020 às 19h41min

Pobreza menstrual: conheça o projeto que visa diminuir a evasão escolar de meninas em Barra do Garças

ARAGUAIA NOTÍCIA
Melissa Nakamura

O Programa de Auxílio a Meninas em Idade Escolar (PAMIE) foi idealizado pela universitária Camilla Soares no início deste ano, e o objetivo do projeto é diminuir a evasão escolar de meninas durante o período menstrual.  

 

Em parceria com o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) “Construir”, localizado no Setor Novo Horizonte, o PAMIE atende no momento 37 meninas dos bairros Jd. Nova Barra, Setor Novo Horizonte, Vila São José, Jd. Dos Ipês, Vila Maria, Jd. Palmares e Jd. Pitaluga. São as assistentes sociais que costumam realizar as entregas e são as responsáveis por fornecer os nomes das meninas através do CadÚnico. 

 

Enquanto o CRAS se encarrega dos nomes e das entregas o PAMIE fica responsável por recolher as doações (em dinheiro ou os próprios pacotes de absorventes) e montar os kits que contém absorventes suficientes para dois ciclos.  

 

E além dos doadores, o projeto ainda conta com outros colaboradores. As embalagens personalizadas são de responsabilidade da artista local Natália Castro, o marketing e as redes sociais do projeto são cuidados pela estrategista digital Barbara Argôlo. As duas colaboram de forma totalmente gratuita e contribuem para o sucesso do projeto. 

 

Para Camilla “todas as meninas e mulheres devem ter acesso à saúde íntima e à dignidade menstrual”, e é clara a necessidade de políticas públicas que disponibilizem e distribuam, de forma gratuita, absorventes em postos de saúde, escolas e centros de assistência social.  

 

PARA AJUDAR O PROJETO 

As doações para o projeto podem ser feitas em dinheiro, através de transferências bancárias, ou podem ser feitas com pacotes de absorventes. Caso não tenha condições de ajudar, basta seguir o PAMIE no Instagram (@pamie_bg) e divulgar para os seus amigos.  

 

A idealizadora do projeto lembra que existe “um imaginário de que as doações devem ser grandiosas ou em valores elevados para que sejam bem-vindas e isso não é real. Hoje, pagamos menos de R$ 2,00 em cada pacote de absorvente. Então, um real faz, sim, muita diferença para o programa”. 

 

PARCERIA COM A PANTYS 

Em agosto deste ano, Camilla descobriu um programa de doações da Pantys (marca de calcinhas absorventes sustentáveis), fez a inscrição do PAMIE e foi convidada para participar da segunda fase da seletiva, onde ficou sabendo da aprovação do projeto para receber as doações das calcinhas absorventes.  

 

E em 04 de novembro de 2020 o PAMIE recebeu sua primeira doação da Pantys, e para Camilla ao receber a encomenda e “ter em mãos (as calcinhas absorventes) foi a concretização de um sonho”.  

 

A idealizadora acredita que além de proporcionar que as meninas tenham acesso a produtos de alta qualidade, a visibilidade que o projeto atinge é de extrema importância. E em um dia tão especial como esse o colaborador Iago Silva registrou a entrega dos kits da Pantys 

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.7%
75.2%