25/11/2020 às 23h10min - Atualizada em 25/11/2020 às 23h10min

Áudios revelam que acusado de matar mulher e estuprar menina em Barra do Garças já foi identificado

Delegada responsável pelo caso dará entrevista nesta quinta às 10 horas na Delegacia Regional

Araguaia Notícia
Uma sequência de áudios que está rolando nos grupos de WhatsApp em Barra do Garças indica que a Polícia Civil está perto de solucionar um dos crimes mais bárbaros dos últimos anos na cidade onde uma mulher de 30 anos, Rhayny Moraes, foi assassinada por asfixia e a filha dela, uma menina de 11 anos, também foi estuprada pelo mesmo criminoso que conseguiu fugir e está sendo procurado pela polícia.

A menina foi encontrada dentro da casa em estado de choque. Sobre os áudios, a reportagem do site Araguaia Notícia entrou em contato com a Polícia Civil e recebeu a informação de que terá uma entrevista coletiva na quinta (26/11) às 10 horas da manhã para falar sobre este assunto. Todavia, a delegada responsável pelo caso, Luciana Canaverde, não quis adiantar se o suspeito já está preso ou foi apenas identificado e está sendo procurado pela polícia.

Nos áudios que pipocaram nos grupos de WhatsApp, amigas e conhecidas de Rhayany comemoram a identificação do acusado. As pessoas comentaram até o apelido do criminoso e divulgaram uma foto dele, todavia a delegada preferiu aguardar a coletiva de quinta-feira para revelar o trabalho da polícia até aqui para esclarecer este caso. 

Os áudios falam que o acusado estava namorando com uma amiga de Rhayany e que aproveitou dessa aproximação para atacar as vítimas covardemente.

O acusado não seria de Barra do Garças. Nos áudios, as pessoas comentam que a família dele já estaria pedindo para que o mesmo se entregue à polícia. Na noite de sábado, o criminoso teria dormido com a faca debaixo do travesseiro provavelmente logo após ele ter assassinado Rhayany e estuprado a filha dela.

O crime aconteceu no sábado (21/11) porém foi descoberto no domingo quando colegas ligaram para Rhayany e ela não atendia o telefone. Foi quando um amigo foi até a casa dela e a encontrou morta e a filha trancada num quarto.

Mas é importante frisar neste momento que estes comentários surgiram com os áudios. A Polícia Civil de Barra do Garças não confirmou nenhum detalhe sobre a investigação. O mistério deve ficar até às 10 horas da manhã quando a delegada estará dando uma entrevista sobre este caso. Todavia, tudo indica que o acusado já deve estar preso ou no mínimo identificado. Desde já parabenizamos a Polícia Civil de Barra do Garças. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »