21/09/2020 às 08h48min - Atualizada em 21/09/2020 às 08h48min

Tamanduá é resgatado em meio a incêndio no Pantanal e atendido em posto de resgate em MT

A equipe de resgate encontrou o animal já cansado e com as quatro patas queimadas graças à ligação de um sitiante pantaneiro.

G1 MT
ARAGUAIA NOTÍCIA
Um tamanduá bandeira resgatado em Nossa Senhora do Livramento, a 35 km de Cuiabá, está sendo assistido pela equipe de médicos veterinários e biólogos do Posto de Atendimento Emergencial a Animais Silvestres do Pantanal (Paeas Pantanal). A equipe de resgate encontrou o animal já cansado e com as quatro patas queimadas graças à ligação de um sitiante pantaneiro. A operação foi realizada na manhã de sábado (19).

Os investimentos feitos nas ações para mitigar os impactos dos incêndios florestais na fauna local foram apresentados a uma diligência do Congresso Nacional que esteve no Paeas Pantanal também no sábado. Para instalação e operação do Paeas Pantanal foram investidos cerca de R$ 500 mil em estruturação física do Posto, diárias, veículos e locação de insumos como caminhões pia, bombonas de água, cochos e recintos para os animais. Os aportes foram feitos pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e pelo Programa REM-MT (da sigla em inglês, REDD+ para Pioneiros).

Atualmente, três equipes de resgate atuam em Poconé em parceria com voluntários que estão na região prestando atendimento e distribuindo alimentos e águas para os animais. Também foram designadas equipes para o município de Barão de Melgaço. A secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, explicou aos senadores e deputados federais e estaduais todo o esforço realizado para mitigar os impactos negativos dos incêndios na fauna silvestre.

Toda vida importa

O Paeas Pantanal é um dos instrumentos de resposta aos incêndios florestais e integra as ações do Centro Integrado Multiagências (Ciman). A força tarefa para atendimento aos animais reúne esforços de órgãos do Governo de Mato Grosso, Governo Federal, entidades de classe, terceiro setor e instituições privadas.

O grupo é coordenado pelo Comitê Estadual de Gestão do Fogo e é formado pelas secretarias de Meio Ambiente e Segurança Pública, BPMPA, Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiros Militar, Programa REM-MT, Assembleia Legislativa, Prefeitura de Poconé, Juizado Volante Ambiental e Ibama. A UFMT está presente por meio do Hospital Veterinário, Centro Acadêmico de Medicina Veterinária e Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres. O Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) também apoia as ações.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária e a Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso também compõem o grupo. Do terceiro setor, a Ampara Silvestre, Associação de Defesa do Pantanal (Adepan), Instituto Mata Ciliar, Ecotrópica, É o Bicho MT e SOSO Pantanal somam esforços. Já da iniciativa privada apoiam a ação a Integral Pet, laboratório VET Vida, Vivet, Clínica Anjo da Guarda e Pantaneiro Clínica Veterinária.
Notícias Relacionadas »
Comentários »