28/11/2013 às 13h01min - Atualizada em 28/11/2013 às 13h01min

Dezenove são presos em ação que apura fraudes na emissão de CNHs

Olhar Direto
Patrícia Neves

Dezenove pessoas já foram presas e outras 28 foram encaminhadas coercitivamente às delegacias da Polícia Judiciária Civil durante a Operação Fraus, desencadeada em 39 cidades nos Estados de Mato Grosso, Goiás e Tocantins, para desarticular uma quadrilha envolvida em fraudes na emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) que teria beneficiado pelo menos 100 pessoas. No total foram expedidos, 135 ordens judiciais, sendo 19 mandados de prisão temporária (5 dias) e 116 conduções coercitivas (meio pelo qual determinada pessoa é levada à presença de autoridade para prestar declarações).

Do total de envolvidos no esquema, 26 são ligadas ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), entre servidores, fiscais e examinadores credenciados ao órgão. A ação policial foi deflagrada na manhã de hoje (27.11) em oito cidades de Mato Grosso, um município de Tocantins e 30 no estado de Goiás.

De acordo com a Polícia Civil, as prisões foram realizadas nas cidades de Cuiabá, Cáceres e Uruana (Goiás). Até o momento, balanço da ação, aponta o cumprimento de 29 mandados de buscas. Na capital, três computadores, além de documentos já foram apreendidos e serão encaminhados para perícia e análise.

No estado de Goiás, foram decretados 8 prisões temporárias, 60 conduções coercitivas e 13 mandados de busca e apreensão. Entre os presos, está o mentor de todo o esquema, identificado pelo nome de Valdimar Tomaz dos Santos, servidor da Ciretran do município de Uruana.

Segundo o delegado que preside o inquérito policial, Joaquim Leitao Junior, o servidor é dono de uma autoescola, que está em nome do filho menor de idade, e seria o articulador do esquema criminoso. Ele mantinha contato com pessoas dentro dos órgãos de trânsitos e autoescolas. Além de arregimentar candidatos para retirar de forma fraudulenta carteira de motorista em Mato Grosso, principalmente no polo de Barra do Garças.

“As investigações chegaram à conclusão de que tudo ou grande maioria desaguava nele. Ele aparece nas investigações como o chefe de todo o esquema. Todas as pessoas recorriam ao Valdimar, pois tinha contatos com pessoas do Detran”, explicou o delegado.

O chefe da fraude, Valdinei Tomaz, autuva junto com Yuri Moreira e Silva, morador da cidade de Araguaiana, em Mato Grosso, que aparece como administrador responsável pela autoescola de Valdinei, em Uruana. Nas investigações Yuri, é apontado como a pessoa responsável por recrutar candidatos para o esquema de Valdinei. “Praticamente tudo passava pelas mãos dele, mas sabemos que trabalha para Valdimar”.

Em Cuiabá, um servidor do Detran foi preso e 16 fiscais examinadores credenciados ao órgão serão conduzidas a Delegacia Fazendária para serem interrogado no esquema de corrupção de emissão de CHN.

De acordo com as investigações, o perfil dos candidatos escolhidos pelo esquema criminoso, embora sofresse variação, eram pessoas analfabetas ou semianalfabetos e idosos de localidades, principalmente do estado de Goiás. A investigação revelou que o candidato nem se deslocava para fazer as provas e mesmo assim retirava a habilitação em Mato Grosso.
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%