17/08/2020 às 11h26min - Atualizada em 17/08/2020 às 11h26min

Mãe de bebê que teve couro cabeludo arrancado durante o parto em MT deixa a UTI mas filha continua em estado grave

Mulher de 38 anos passou quase uma semana na UTI depois do parto e agora está na enfermaria. Suspeita de erro médico é apurada pelo hospital, pelo CRM-MT e pela Polícia Civil.

G1 MT
ARAGUAIA NOTÍCIA
A mãe da bebê que teve e o couro cabeludo arrancado durante o parto, na Santa Casa de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, na segunda-feira (10), recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no final de semana. Maria Lima de Jesus, de 38 anos, teve a bexiga perfurada durante a cesariana.

Segundo a família, ela continuará internada, mas na enfermaria do hospital para acompanhamento pós-operatório. Já a recém-nascida, Natasha Vitória, continua internada em estado grave.
Bebê está internada — Foto: Arquivo Pessoal

Bebê está internada — Foto: Arquivo Pessoal



O pai da menina, Adalberto de Souza Moreira, alega erro médico.

A direção da Santa Casa informou que está investigando o caso e o Conselho Regional de Medicina declarou que vai abrir uma sindicância pra apurar se houve falha médica. A Polícia Civil também está apurando a denúncia de falha médica.

Na semana passada, depois da repercussão da denúncia do pai da criança, o hospital confirmou as lesões nas pacientes. Alegou que, na hora da retirada da criança, havia pouco espaço entre a bacia óssea da mãe e a cabeça da criança e, por conta disso, na hora do parto, o bebê teve parte do couro cabeludo arrancado.

O caso foi denunciado na quinta-feira (13) pelo pai da criança. Segundo ele, a mulher foi internada no dia 29 de julho, logo após entrar em trabalho de parto. Ele contou que os médicos disseram para ele que a criança era prematura, com 32 semanas, e que eles estavam esperando completar 34 semanas de gestação para realizar o parto.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.4%
5.2%
18.2%
75.2%