24/07/2020 às 22h08min - Atualizada em 24/07/2020 às 22h08min

Polícia Civil identificam garotas que faziam 'fake news' acusando homens de estupro

Foi uma brincadeira que custou caro para as adolescentes e provocou 40 vítimas. Elas criaram as Taradas de Sorriso e Expoced só para difiamar homens

Assessoria Polícia Civil
ARAGUAIA NOTÍCIA


Uma operação para coibir crimes de calunia e difamação cometidos através de meios cibernéticos foi deflagrada pela Polícia Civil de Sorriso (MT), na manhã de sexta-feira (24.07). Os crimes cometidos por meio de redes sociais da internet, que desencadearam a operação "Fake New" fizeram mais de 40 vítimas no município.

Dois mandados de busca e apreensão domiciliar foram cumpridos nas residências de duas mulheres identificadas como criadoras das páginas, “Taradas de Sorriso” e “Expoced”, em que as vítimas eram difamadas.

As investigações iniciaram há alguns dias após a Polícia Civil receber informações sobre duas páginas criadas nas redes sociais Twitter e Instagram que acusavam homens de estupro, abuso sexual e outros crimes do gênero. Para chegar a identificação das suspeitas, a equipe da Delegacia de Sorriso trabalhou com a inteligência e tecnologia conseguindo chegar às autoras das páginas

Durante as buscas na casa das suspeitas, foram apreendidos aparelhos celulares e notebooks. O material apreendido será analisado e encaminhado para perícia, porém em breve análise já foi possível identificar o envolvimento das investigadas como responsáveis pelas postagens nas páginas.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Sorriso, André Eduardo Ribeiro, as postagens feitas nas redes sociais criada pelas investigadas fizeram mais de 40 vítimas, que tiveram a sua honra denegrida.


“As páginas da internet causaram grande transtorno há várias pessoas da cidade. Tivemos casos em que famílias se separaram por conta das postagens e difamação realizada através destas redes sociais”, disse o delegado.



 
Notícias Relacionadas »
Comentários »