24/07/2020 às 18h30min - Atualizada em 24/07/2020 às 18h30min

Prefeito lamenta a morte de músico que atuava como feirante em Aragarças VEJA VÍDEO

Tonhão fazia dupla com Tarcísio e participava da Orquestra dos Violeiros. E atuava também como feirante

Araguaia Notícia


O prefeito José Elias Fernandes enviou através de sua assessoria uma nota de pesar ao Araguaia Notícia lamenta a morte do músico, radialista e também feirante Antônio Cândido de Souza, o Tonhão, de 67 anos. Ele morreu na manhã de sexta-feira (24/7) em Barra do Garças vítima do Covid.

“É com imensa tristeza que recebemos a notícia do falecimento do feirante de produtos naturais Tonhão que atuava no box 90 da Feira Pedro Elias de Aragarças. Neste momento de dor, em nome da Prefeitura de Aragarças e de todos os feirantes, entristecidos pelo passamento do Tonhão, expressamos o mais profundo sentimento aos familiares e amigos enlutados pela irreparável perda”, destaca a nota do prefeito José Elias e da primeira-dama Mara Nei Fernandes.

Ele estava internado desde o dia 16/7 quando começou a passar mal em casa e foi levado ao hospital onde os médicos diagnosticaram como Covid e o encaminhou para UPA e depois direto ao Pronto Socorro aonde já deu entrada na UTI.

Tonhão infelizmente não resistiu e faleceu por volta das 10 horas da manhã no Pronto Socorro. Ele deixa a esposa Joana que é filha do saudoso João da Vaca e três filhos.   

Ele começou a sua história em Barra do Garças trabalhando na construção civil quando morava no bairro Santo Antônio. Depois ele se mudou e morou um tempo em Rondonópolis. De volta a cidade querida de Barra do Garças, Tonhão passou atuar como feirante e como era apaixonado por comunicação entrou na rádio com um programa musical e também atuando na música sertaneja com a dupla Tonhão e Tarcísio.

Devido às orientações sanitárias, não houve velório apenas um cortejo com a participação de vários músicos da Orquestra dos Violeiros, familiares e amigos do Tonhão. Ele é irmão do Batista da Ambulância, da Vila Maria.

“Fiquei bastante abalado com a morte do Tonhão que conheço desde o começo da minha carreira no rádio em 1986 e ele sempre em ouvia. E peço a Deus que conforte o coração da família e lhe dê um bom lugar para o descanso eterno”, destacou o radialista Ronaldo Couto que é amigo da família e afilhado do João da Vaca.
Notícias Relacionadas »
Comentários »