24/07/2020 às 11h48min - Atualizada em 24/07/2020 às 11h48min

Criadoras de perfis com relatos de ‘aventuras sexuais’, fotos e informações de 40 homens são alvos de operação em MT

Páginas também denunciavam supostos crimes de estupro e abuso sexual. Entre os homens citados estão agricultores, pecuaristas, policiais, empresários, comerciantes e outros.

G1 MT
ARAGUAIA NOTÍCIA
Três mulheres e uma adolescente de 15 anos foram alvos de uma operação na manhã desta sexta-feira (24) que investiga crimes de calunia e difamação cometidos através de redes sociais em Sorriso, a 420 km de Cuiabá.

De acordo com a Polícia Civil de Sorriso, os crimes cometidos por meio de redes sociais da internet fizeram mais de 40 vítimas no município e em outras cidades da região norte de Mato Grosso.

Em uma das páginas, as acusações feitas pelas suspeitas eram de assédio e abuso sexual e na outra, elas acusavam homens, que em parte eram casados, de adultério. As fotos e os nomes das vítimas eram expostos nas publicações, inclusive com detalhes das ‘aventuras sexuais’.

Segundo a Polícia Civil, dois mandados de busca e apreensão domiciliar foram cumpridos nas residências de duas mulheres identificadas como criadoras das páginas em que as vítimas eram difamadas.

As investigações iniciaram há alguns dias após a Polícia Civil receber informações sobre duas páginas criadas nas redes sociais - Twitter e Instagram - que acusavam homens de estupro, abuso sexual e outros crimes do gênero.

Entre os homens citados estão agricultores, pecuaristas, policiais, empresários, comerciantes e outros.

Para chegar à identificação das suspeitas, a equipe da delegacia de Sorriso trabalhou com a inteligência e tecnologia conseguindo chegar às autoras das páginas.

Durante as buscas na casa das suspeitas, foram apreendidos aparelhos celulares e notebooks.

O material apreendido será analisado e encaminhado para perícia, porém em breve análise já foi possível identificar o envolvimento das investigadas como responsáveis pelas postagens nas páginas.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Sorriso, André Eduardo Ribeiro, as postagens feitas nas redes sociais criada pelas investigadas fizeram mais de 40 vítimas, ‘que tiveram a sua honra denegrida’.

O delegado disse que as páginas da internet causaram grande transtorno para várias pessoas da cidade. Em alguns casos, famílias se separaram por conta das postagens.
Notícias Relacionadas »
Comentários »