21/07/2020 às 21h35min - Atualizada em 21/07/2020 às 21h35min

População pede retirada de médica após segunda morte em parto e lança a campanha bebês pedem socorro

Realizar um parto é algo muito sério e que exige responsabilidade e capacidade. Hospitais particulares e públicos deveriam analisar bem antes qual o profissional que está designando para essa função de fazer um parto. Crianças ou até mães estão morrendo por condutas no mínimo questionáveis. Em Barra do Garças, existe um caso a ser esclarecido que já tem 4 meses e até hoje a Polícia Civil não concluiu a investigação. A alegação da Polícia Civil para lentidão desta apuração se deve a pandemia, pois os policiais não podem podem se contaminar. E a família que perdeu um bebê... será que ela pode ficar em sofrimento por 4 meses sem respostas as indagações? Parabéns as mães de Confresa, chega de profissionais insensíveis. Espero que a Polícia Civil tenha um pouco mais sensibilidade ao tratar de um caso como este que dói e causa sofrimento.

Araguaia Notícia


Foi destaque na rede social da cidade de Confresa-MT, uma manifestação conduzida por mulheres revoltadas com a segunda morte pós-parto em menos de 5 meses no Hospital Municipal daquela cidade.

Segundo informações, a manifestação trás o repudio da população contra uma médica que seria a responsável por partos pela rede pública do município.

A médica está sendo acusada nas redes sociais por irresponsabilidade durante dois partos, as mulheres que tinham entre 30 e 20 anos morreram em seguida ao parto. A última vítima seria uma mulher de 22 anos que faleceu esta noite(20/07).

A médica que faz plantões no hospital municipal está gerando medo em gestantes, que muitas vezes são obrigadas a passar pelo atendimento da mesma, visto que a cobertura de plantão é revezada com outro médico do município. 



Umas das publicações em protesto traz a seguinte frase “Os bebês de Confresa pedem socorro! Não deixe minha mãe morrer! Preciso de Mamãe”. Mensagens como esta viralizaram pelas redes sociais em Confresa e região.

Em contato com a secretária de saúde Fernanda Santos, informou que a Prefeitura vai se manifestar após sindicância que está sendo instalada para apurar o caso.
Notícias Relacionadas »
Comentários »