13/11/2013 às 19h59min - Atualizada em 13/11/2013 às 19h59min

Ronaldo Couto lamenta mau jornalismo de jornal que adere política do quanto pior melhor

Araguaia Notícia
Araguaia Notícia

O repórter e estudante de jornalismo Ronaldo Couto lamentou a falta de ética e seriedade do site e jornal A Semana do designer Ronan de Sá e do jornalista empírico Wanderley Vasconcelos que vem lhe atacando até mesmo com mentiras sem dar o direito de resposta. “Isso não é jornalismo nem aqui e nem na China e que é pior são matérias construídas de forma maldosa sem dar o direito ao contraditório. Estão levando para o campo político e extrapolando até para o pessoal”, frisou Ronaldo.

O repórter falou sobre o assunto pela primeira vez, no Jornal da Band na edição de quarta-feira (13), quando lamentou a falta de ética do site A Semana que escreveu matéria sobre a secretária de Ação Social da prefeitura de Barra do Garças, Mara Kisner, sem ouvi-la. “Engraçado quem não deu a cadeira de rodas e motivou a ação foi a ex-primeira-dama Laura Beatriz, esposa do ex-prefeito Wanderlei Farias e isso eles não falaram na matéria e meteram o pau na Mara com clara evidencia de difamar a atual gestão de Barra. Isso não é jornalismo, isso é desfazer das pessoas”, destacou.

Ronaldo disse que também tem sido alvo do A Semana porque contesta o mau jornalismo praticado pelo site. “Já falaram que eu vou ser processado e investigado pela Polícia Federal depois expõe minhas fotos e tentam denegrir o meu trabalho, mas nunca me deram o direito de resposta”, acrescentou. Por causa disso, Ronaldo está processando o jornal. 

Na avaliação do Ronaldo, o site A Semana entrou na mesma onda da Rádio Aruanã, ligada ao grupo do ex-prefeito Wanderlei Farias, que faz hoje o jogo político ‘do quanto pior melhor’ em Barra do Garças tentando prejudicar a gestão de Roberto Farias. “Isso é perfeitamente visível quando o site omite o fato de que a notificação sobre a cadeira de rodas foi na época de Wanderlei e tenta imputar a culpa a Mara Kisner”, ressaltou.

O repórter disse que o jornalismo deve contribuir na fiscalização, todavia tem que ser feito de forma séria e isenta e de preferência sem mentiras. “O que eles estão fazendo pega mal e demonstra o jornalismo tendencioso. Eu conheço o Wanderley Vasconcelos, e o respeito pela sua história, porém lamento que ele se preste ao trabalho de escrever matérias sem ouvir as pessoas só com objetivo de meter o pau”, completou. Além do site A Semana, Ronaldo está processando a Rádio Aruanã e o apresentador Antônio Carlos que lhe fizeram ataques pessoais sem provas no iníco do ano. “Como eles não têm discurso partem para ataques pessoais e isso eu não posso admitir e vou brigar até o final pela verdade”, acrescentou.

“O que está ficando claro para sociedade é que quando o prefeito era o Wanderlei, Aruanã e o A Semana não falavam nada e estavam até juntos. É o caso do Antônio Carlos que era coordenador de imprensa do ex-prefeito. Mas de janeiro para cá, com outro governo, adotaram a política do quanto pior melhor e mais, e infelizmente a prática do mau jornalismo”, analisou Ronaldo.

O repórter da Band destacou que outro que faz acusações sem provas é o suplente de deputado federal Eduardo Moura, que praticamente virou comentarista da Aruanã, atacando até mesmo o Ronaldo. "Ele me ataca porque eu contesto esse tipo de político do quanto pior melhor. Eu acho uma incoerência do Eduardo, durante doze anos do Wanderlei prefeito, ele nunca falou nada, mas de janeiro pra cá, todo dia ele ataca o Beto até mesmo com mentiras. Se ele quer aparecer porque não vai atrás de recursos (emendas) para o município e pare de fazer a política do quanto pior melhor”. Além da política do quanto pior melhor, o grupo do ex-prefeito parte agora para o mau jornalismo em Barra do Garças.
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.5%
1.4%