05/07/2020 às 20h02min - Atualizada em 05/07/2020 às 20h02min

Quatro cidades de Mato Grosso resistem ao ataque da Covid-19

Sorte? Coincidência? Ou prevenção? Doença já contamina em 136 localidades e matou em outras 59, segundo dados da Secretaria de Saúde

Eduardo Gomes / Diário de Cuiabá
ARAGUAIA NOTÍCIA
O mais populoso é Carlinda, com 10.305 residentes, e o menor é Araguainha, com 935.


Nem as autoridades da Saúde, nem os médicos que atuam na linha de frente contra o coronavírus, têm resposta a esses questionamentos sobre a ausência do vírus num grupo reduzido de quatro pequenas cidades mato-grossenses, enquanto a pandemia contamina em 137 municípios e matou em outros 59.

Na sexta-feira (3), completou três meses a primeira morte pelo vírus em Mato Grosso. 

Luiz Nunes, 54, gerente de supermercado em Lucas do Rio Verde (354 km ao Norte de Cuiabá) e que era hipertenso e diabético, morreu num hospital, depois de lutar contra a doença, que, em 19 de março, em Cuiabá, foi notificada pela primeira vez no Estado.

Avançando em todas as direções, vitimando nas cidades, campo e áreas indígenas, o coronavírus tem epicentro regional na capital mato-grossense.

A doença, até sexta-feira, matou 706 e contaminou 18.356, sendo que 6.985 se recuperaram, enquanto 10.002 se mantinham em isolamento domiciliar, com 525 hospitalizados – dos quais, 226 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O grupo era de cinco cidades, mas desde o dia 01/07, Torixoréu que resistiu bravamente e fazia parte deste grupo, anunciou infelizmente o seu primeiro caso confirmado. A partir dai o grupo ficou de 4 municípios que não notificaram a doença é formado por Carlinda, Glória D’Oeste, Planalto da Serra e Araguainha que somados não chegam a 20.527 habitantes.

O mais populoso é Carlinda, com 10.305 residentes, e o menor é Araguainha, com 935. A ausência de infectados é motivo de comemoração e não tem explicação.



Carlinda fica a 35 quilômetros de Alta Floresta, que é o polo regional nas divisas com Pará e Amazonas, e onde há registros de mortes e contaminados; é intenso o vaivém entre as duas cidades.

Planalto da Serra é o que se pode chamar de fim de linha, pois a cidade fica numa área isolada na região central de Mato Grosso.

Araguainha, no Vale do Araguaia, divisa com Goiás e próxima a Alto Araguaia, é o menor município mato-grossense, e alguns de seus moradores trabalham nas empresas ligadas ao terminal ferroviário em Alto Araguaia, onde há registros da doença e de óbitos.

Glória D’Oeste, na faixa de fronteira, é a cidade mais próxima a Porto Esperidão, uma das áreas mais atingidas pela pandemia.

A referência regional de saúde pública para Carlinda é Alta Floresta; para Araguainha, Rondonópolis; para Torixoréu, Barra do Garças; para Glória D’Oeste, Cáceres; e para Planalto da Serra, Cuiabá.

Se os cinco municípios resistirão ao vírus ou até quando o farão, ninguém sabe. Isso é tão desafiador quanto o fato de os mesmos se manterem imunes, em meio à pandemia.
Notícias Relacionadas »
Comentários »