01/07/2020 às 16h07min - Atualizada em 01/07/2020 às 16h07min

Funai reforça ações de combate ao coronavírus em Barra do Garças

Assessoria / Funai
ARAGUAIA NOTÍCIA
Maria Aureni, coordenadora de Gênero, Assuntos Geracionais e Participação Social da Funai, em força-tarefa no MT. Foto: Divulgação/Funai


A Fundação Nacional do Índio (Funai) realizou uma força-tarefa em Barra do Garças (MT), de 24 a 27 de junho, para reforçar o atendimento das comunidades e promover a articulação local com outros órgãos governamentais envolvidos na execução e acompanhamento da saúde indígena.
 
A ação contou com a participação do coordenador-geral de Promoção à Cidadania da Funai, Joany Arantes, e da coordenadora de Gênero, Assuntos Geracionais e Participação Social, Maria Aureni Gonzaga da Silva, além do chefe da Coordenação Regional Xavante, Carlos Henrique da Silva.
 
Na ocasião, a Funai se reuniu com a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), o Ministério Público Federal (MPF), a Secretaria Municipal de Saúde e a Procuradoria da República em Barra do Garças. Durante a reunião, foram discutidas diversas medidas sanitárias necessárias ao combate do coronavírus junto ao povo Xavante.
 
"Dentro das suas competências, a Funai vem cumprindo seu papel diante da pandemia, e segue intensificando as ações. Na reunião, solicitamos que as autoridades sanitárias competentes reforçassem o atendimento de saúde aos indígenas e ampliassem o combate ao coronavírus nas comunidades", aponta Aureni.
 
Durante a força-tarefa, a Funai percorreu a região e realizou o trabalho de distribuição de álcool em gel nas Terras Indígenas São Marcos e Sangradouro.
 
Saúde indígena
 
Em ofício enviado ao secretário Especial de Saúde Indígena, Robson Santos da Silva, o presidente da Funai, Marcelo Xavier, solicitou informações à Sesai sobre a viabilidade da instalação de um Hospital de Campanha em Barra do Garças, tendo em vista a situação de vulnerabilidade dos indígenas da região.
 
Por força do Decreto nº 9.795, de 17 de maio de 2019, compete à Sesai, órgão do Ministério da Saúde, a coordenação e execução da Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas e todo o processo de gestão do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS) no Sistema Único de Saúde (SUS).
 
Já a Funai acompanha a execução das atividades e programas e aciona os órgãos competentes quando necessário, já que tem a finalidade de monitorar as ações, bem como os serviços de atenção à saúde voltados aos povos originários.

Ações da Funai
 
Barra do Garcas2

Barra do Garcas2



A Funai tem reforçado as medidas de prevenção ao contágio da covid-19 entre a população indígena Xavante no estado de Mato Grosso. Entre as principais atividades desenvolvidas, estão a realização de barreiras sanitárias, a distribuição de cestas de alimentos e kits de higiene e limpeza.
 
Por meio da CR Xavante, em Barra do Garças, a Funai tem acompanhado as comunidades e apoiado duas barreiras sanitárias instaladas na região, a fim de monitorar o fluxo de pessoas na entrada das aldeias e impedir o ingresso de não indígenas. Placas indicativas também foram instaladas nas principais vias de ac
esso.
 
Em outra frente, a Funai vem atuando para garantir a segurança alimentar das famílias em situação de vulnerabilidade social. Estão em processo de distribuição mais de 9,5 mil cestas de alimentos aos indígenas Xavante. Em todo o Mato Grosso, serão entregues mais de 32,5 mil cestas, numa ação que conta com a parceria do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Barra do Garcas1

Barra do Garcas1



Além disso, quase 2 mil kits de higiene e limpeza já foram entregues às comunidades. Como medida preventiva, a Funai também enviou 6,5 mil itens de proteção individual aos servidores da CR Xavante que estão em contato com as aldeias, o que inclui máscaras, luvas e toucas descartáveis.

A fundação segue trabalhando ainda na implantação de novas barreiras sanitárias, bem como em outros projetos para beneficiar o povo Xavante, como o calendário de atendimento bancário e a instalação de infraestrutura provisória de isolamento nas aldeias.
Notícias Relacionadas »
Comentários »