31/10/2013 às 15h45min - Atualizada em 31/10/2013 às 15h45min

Garota é detida após postar fotos exibindo armas e torcedores usam fakes para prometer brigas

Olhar Direto
Tv Anhanguera

Dois casos chamaram a atenção da polícia em Goiás de uso incorreto do facebook. Primeiro de uma garota postando fotos com armas fazendo ameaças e de torcedores usando fakes para ameaçar torcida adversária.

O primeiro caso ocorreu em Rio Verde, no sudoeste goiano, onde uma garota de 14 anos foi apreendida pela Polícia Civil por ter postado nas redes sociais fotos exibindo armas de fogo acompanhadas de comentários ameaçadores.

Podem ter sido por brincadeiras, mas a forma que a moça falou no face chamou atenção das autoridades que a procuraram. "Você tentou dar tiro em mim, não acertou. Agora vou te achar no inferno, se for preciso”. Por causa das imagens, a Polícia Militar apreendeu ainda outros quatro menores e prendeu três homens, que seriam donos dos revólveres fotografados.

“Localizamos a menina, fomos até o encontro dela, que disse ter tirado as fotos na casa de outro suspeito. Fomos a casa desse outro suspeito e foi uma sequência de ações. Ele disse que havia pegado a arma com outro indivíduo e assim sucessivamente”, afirmou o tenente da Polícia Militar Ronniery Moraes.

O revólver calibre 38 estava na casa de um dos suspeitos, de 24 anos, onde também apreenderam uma substância usada na fabricação de drogas. O outro revólver, de calibre 32, estava com dois menores. Os adolescentes também estavam em uma motocicleta roubada. Após prestarem informações, os menores apreendidos na situação foram liberados.

Em Goiânia, o serviço de inteligência da Polícia Civil está tentando identificar de onde partiram postagens incitando torcedores a partir para cima da torcida do Flamengo, no primeiro jogo da semifinal da Copa do Brasil. A polícia suspeita que sejam fakes, criador a partir de e-mails falsos, onde torcedores falam em dar porrada, mostrar quem manda no Serra Dourada e pedindo a torcida para colocar o Flamengo no lugar dele.

Para evitar um campo de batalha, a Polícia Militar (PM) preparou um esquema especial de acesso ao estádio para separar as torcidas adversárias. As postagens com insultos, ameaças ou apologia ao crime normalmente são utilizados fakes com nomes falsos.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%