26/10/2013 às 10h05min - Atualizada em 26/10/2013 às 10h05min

Supermercado é autuado por vender carne clandestina e por falta de condições de higiene

Olhar Jurídico
Reprodução / Ilustração

Ação do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) e a Vigilância Sanitária Municipal autuaram o Supermercado Nilo, em Barra do Garças (distante 508 km da capital). Ao todo quinhentos e noventa e um quilos de carne suína, oriundos de abate clandestino foram apreendidos com apoio da Polícia Civil.

A apreensão ocorreu na terça-feira (22), em uma das unidades do supermercado. A operação foi realizada após denúncias de consumidores da cidade. Os responsáveis pelo estabelecimento não apresentaram nota fiscal ou comprovante de origem do produto apreendido.

Leia mais
Açougues são denunciados por venderem carne suína de abate clandestino

A carne estava acondicionada de forma irregular, dentro de caixas diretamente no chão ou pendurado em ganchos totalmente oxidados, e conservado em temperatura inadequada. A falta de higiene também contribuiu para a proliferação de moscas no local, cujos insetos foram encontrados entre as carnes.

A carne apreendida foi inutilizada e descartada no Aterro Sanitário Municipal, o estabelecimento já havia sido multado pela VISA Municipal, e agora será alvo do Ministério Público. Consta nos autos que o supermercado também já teve suas atividades suspensas em outras ocasiões por motivos semelhantes.

A carne suína oriunda do abate clandestino pode transmitir doenças como: toxoplasmose, teníase, cisticercose, brucelose e tuberculose.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.5%
1.3%