27/05/2020 às 15h56min - Atualizada em 27/05/2020 às 15h56min

Polícia Civil apreende 10 armas e mais de 9 mil munições na Operação Senhor das Armas no Araguaia

Um verdadeiro arsenal com armas longas e curtas e até de grosso calibre. Um dos investigados pagou 10 mil em fiança para responder em liberdade pelo arsenal apreendido

Assessoria / PJC MT
ARAGUAIA NOTÍCIA


A Polícia Civil desencadeou na manhã de terça-feira (26/5) uma operação no município de Bom Jesus do Araguaia-MT, visando combater o tráfico de drogas, posse irregular de revólveres e possível comércio ilegal de armas de fogo. Ao todo, sete imóveis, dentre eles estabelecimentos comerciais, foram objetos das ações policiais, tendo, conforme denúncias, cinco homens como investigados. A operação Senhor das Armas apreendeu dez armas de diversos calibres e 9.624 munições, sem dúvida, um verdadeiro arsenal.  

Após meses de levantamento e denúncias, policiais civis identificaram os referidos pontos com fortes indícios de prática criminosa no município de Bom Jesus do Araguaia. Em especial, a informação de que um dos suspeitos, um homem de 29 anos, mantinha em seu imóvel armas de vários calibres e que, inclusive, comercializava tais instrumentos na região.

Os agentes ainda perceberam que outros armamentos e munições ficavam guardados em estabelecimentos comerciais da família, situados na área central da cidade. Com base nisso, foi representada pelas buscas domiciliares, sendo autorizadas pela Comarca de Ribeirão Cascalheira.

Durante o cumprimento das ordens judiciais foram encontradas na casa do investigado de 29 anos uma impressionante quantidade de armas longas e curtas, além de milhares de munições de calibre permitido e de uso restrito. No momento da ação, o suspeito não estava no imóvel, sendo os policiais recebidos pela esposa dele.

Ela disse aos agentes que ele possui registro de todo o arsenal, mas não estava na casa, pois havia carregado com ele em viagem para outro estado. Diante dessa situação, tudo foi apreendido e levado para a delegacia. De acordo com o delegado regional de Polícia, Valmon Pereira da Silva, será instaurado o inquérito para apurar o caso e fazer a checagem dos registros das armas junto ao Sinarm (Sistema Nacional de Registro de Armas – Polícia Federal).



Não se comprovando a procedência, tampouco o suspeito apresentar a documentação de regularidade das armas, será indiciado, ao menos por ora, nos crimes de posse irregular de arma de uso permitido e posse de armas de uso restrito da Lei 10.826/03, cujas penas somadas podem superar dez anos de reclusão.

Nos estabelecimentos comerciais da família foram encontros um revólver calibre 38, uma espingarda 22, munições, além de cigarro possivelmente de origem paraguaia. O pai do suspeito apresentou-se como dono das armas aos policiais, não entregando o registro de regularidade delas. Ele foi autuado por posse ilegal de arma de fogo de uso permitido, recolhendo R$ 10 mil reais a título de fiança, para responder ao inquérito em liberdade.

Em outro imóvel foram encontradas diversas roupas de marca com indícios de serem falsificadas. O suspeito não estava no imóvel durante a ação policial. A convivente dele recebeu os policiais, sendo apreendida uma amostra do material para análise pericial. Comprovada a falsidade, eles responderão pelo crime de violação de direito autoral, sendo considerada infração de menor potencial ofensivo.

Nas demais residências, não foram encontradas irregularidades. Ao todo, participaram da operação 23 policiais civis. (Ascom PJC)
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.6%
75.2%