23/05/2020 às 17h10min - Atualizada em 23/05/2020 às 17h10min

Secretário alerta que prefeitos de MT 'afrouxam isolamento' de olho nas eleições VEJA VÍDEO

Gilberto Figueiredo reconhece que não existe decisão fácil na pandemia

Assessoria
ARAGUAIA NOTÍCIA
O secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, criticou na sexta-feira (22/5) a falta de pulso de parte dos prefeitos em adotar medidas preventivas ao novo coronavírus. Segundo ele, parte dos gestores estão melindrosos em adotar medidas restritivas mais severas para evitar embates com a população e empresários por ser um ano eleitoral.

Figueiredo esclareceu que essas atitudes apenas colaboram para o aumento de disseminação do vírus já que as pessoas ficam mais relaxadas em cumprir o isolamento. “Existe municípios que faz [medidas restritivas] isso com mais eficiência, existe municípios que estão enxergando isso naturalmente e não estão adotando as medidas necessárias. Parece-me que, sendo um ano político, que tem eleições municipais, os gestores políticos estão encontrando dificuldades em tomar decisões à luz das recomendações sanitárias, à luz dos pleitos realizados no mundo econômico. Eu sei que não tem decisão fácil na pandemia e o número de casos vai estar ligado a capacidade que nós tivermos gradativamente controlando esse fluxo”, disparou.



As declarações foram dadas durante entrevista coletiva à imprensa através do Facebook. Na transmissão, Figueiredo foi enfático ao dizer que as expectativas são preocupantes para o cenário que deve se formar nos próximos dias.

Isso porque, segundo o Ministério da Saúde, haverá um “crescimento substancial” do vírus que será facialmente propagado com o inverno. “Há uma previsão de crescimento na contaminação, uma previsão de crescimento dos casos não só aqui, mas no Estado todo. Se alguém assistiu ontem a transmissão da reunião da Comissão Tripartite, o próprio ministro interino disse que o Centro-Oeste deve ter um crescimento substancial de casos daqui pra frente, principalmente coma chegada do inverno”, adiantou.

Ao criticar a falta de bom senso de algumas pessoas que desprezam o momento pandêmico que o Estado o Brasil vivem, Figueiredo alertou ainda que Mato Grosso vivencia apenas o começo da pandemia, que segundo ele, deve se arrastar por vários meses. “A pandemia no Estado de Mato Grosso ela está no início, eu passo o boletim e vejo as pessoas se surpreendendo com o número de casos. Nós vamos ter números muito maiores diários no que vem pela frente. Portanto nós estamos no inicio da pandemia e acredito que ela vai se arrastar por vários meses e nós vamos ter dias mais difíceis do que teremos hoje”, expressou.

TESTES RÁPIDOS

Ao responder perguntas dos jornalistas, o chefe da Saúde voltou a colocar em “xeque” a efetividade dos testes em massa e afirmou que o Governo de Mato Grosso não vai “gastar dinheiro” com a aquisição do exame para testar toda a população. 

“Existe no Brasil uma pandemia para vender testes rápidos, com baixa resolutividade, que tem critério especifico para serem utilizados, neste momento é uma grande oportunidade mercadológica, alguns gestores estão se aventurando em fazer grandes aquisições para testes com pouca efetividade. Não é o procedimento que será adotado pelo Governo de Mato Grosso, nós não vamos rasgar dinheiro com isso e nós vamos testar aqueles que forem possíveis de serem testados dentro da necessidade no modelo padrão”, finalizou. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »