16/10/2013 às 08h31min - Atualizada em 16/10/2013 às 08h31min

Prefeitura é cercada em operação do MPE contra fraude na compra de medicamentos

Olhar Direto
Tv Serra Azul / André Luís

A prefeitura de Aragarças-GO, divisa com Mato Grosso, amanheceu cercada terça-feira (15) por policiais militares na operação denominada 'Tarja Preta' do Ministério Público Estadual (MPE-GO) que investiga um esquema de compra fraudulenta de medicamentos por vinte prefeituras de Goiás. A suspeita é uma organização criminosa apoio logístico de empresários e advogados estaria por trás do esquema de vendas fraudadas, viciadas, direcionadas e superfaturadas há um ano.

Estão sendo cumpridos 123 mandados em 20 municípios do Estado, sendo 38 mandados de prisão temporária, 37 mandados de condução coercitiva e 48 mandados de busca e apreensão. Entre os alvos estão prefeitos, secretários de saúde, empresários e advogados.

Os órgãos do MP-GO que coordenam a operação são a Procuradoria-Geral de Justiça, Procuradoria de Justiça Especializada na Promoção de Ação Penal contra Prefeito Municipal, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e Centro de Segurança Institucional e Inteligência (CSI). Participam da operação 70 promotores de Justiça e 386 policiais militares de Goiás e com apoio da PM de Mato Grosso.

A investigação do Ministério Público, até o momento, apontou indícios da prática dos seguintes crimes pela organização criminosa: a) formação de quadrilha; b) formação de cartel; c) peculato; d) corrupção ativa e passiva; e) indevida dispensa e inexigibilidade de licitação; f) fraude à licitação; g) delito do inciso “V” do Decreto-lei nº 201/1967; h) falsificação de documentos públicos e privados; i) lavagem de dinheiro.

Em Aragarças, dois promotores acompanham de perto a checagem de documentos na prefeitura, secretaria de saúde e de finanças do município checando papeis e informações. Na secretaria de saúde os funcionários não apareceram para abrir as portas e os policiais tiveram que chamar um chaveiro para abrir o prédio.

A promotora Ana Carla Mascarenhas informou à imprensa que no período da tarde haverá uma entrevista coletiva para explicar o que foi encontrado no município de Aragarças e sobre a operação que investiga um possível esquema de compra irregular de medicamentos. O prefeito de Aragarças, Aurélio Mendes, não está na cidade e segundo assessoria participa de um encontro sobre saúde em Caldas Novas. Mais detalhes em instantes.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%