07/08/2011 às 12h30min - Atualizada em 07/08/2011 às 12h30min

Beto Farias já recorreu e confia que será candidato a prefeito

Olhar Direto
Filho de Wilmar lidera pesquisas na Barra

O empresário e filho do ex-governador Wilmar Peres, Roberto Farias (PSD), informou que já recorreu da sentença que o tornou inelegível por três anos e acredita que irá reverter esse quadro em Brasília para disputar a prefeitura de Barra do Garças em 2012. Beto, que trocou o PP pelo PSD, foi denunciado na campanha de 2010 pelo ex-candidato a deputado estadual Cândido Teles por crime de abuso econômico de estar concedendo entrevistas na TV no período eleitoral.

No entanto, Beto nega que houve uso de mídia por parte dele. Ele argumenta que na época concedeu algumas entrevistas apenar para se explicar o episódio do suposto atentado à bomba que houve no seu comitê eleitoral. O provimento ao seu recurso foi negado em Cuiabá e agora será apreciado em Brasília pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) onde recentemente foi absolvido o deputado federal Pedro Henry da mesma acusação. Henry teria concedido entrevistas numa emissora de TV de Cáceres vinculada a sua família.

Beto aparece na frente nas pesquisas de intenção de votos para prefeito em Barra e foi convidado pelo deputado estadual José Riva para fazer parte da executiva do PSD. Em 2008, o filho de Wilmar foi vice na chapa de Chaparral (PC do B) e foi derrotado pelo primo Wanderlei. O empresário voltou a concorrer em 2010 para deputado federal e foi o mais votado na cidade. Ele ganhou projeção no município por fazer oposição ao primo republicano. Apesar de terem o mesmo sobrenome, Beto reitera que ele e Wanderlei são como água e óleo, que não se misturam.

Se não conseguir reverter a inegibilidade, o empresário afirma que já tem um plano B que é convidar a sua mãe Cândida Farias para ser candidata no lugar dele cujo nome será levado a apreciação do PSD. A outra opção é do suplente de deputado estadual Leandro Soares, filho do conselheiro Alencar Soares.

O prefeito Wanderlei também está ameaçado de ficar fora da eleição por causa do Ficha Limpa, pois teve contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU), recentemente, sobre a construção do córrego Voadeira em 2002. De acordo com a lei do Ficha Limpa, quem tiver ação julgada em colegiado fica inelegível por 8 anos. O republicano recorreu da decisão. Uma das opções para substituir a candidatura do prefeito é do vereador Julio César (PSDB) num 'acordão' da família e a outra seria do megaempresário Eduardo Moura (PPS).  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.8%
4.7%
19.8%
73.7%