08/04/2020 às 16h39min - Atualizada em 08/04/2020 às 16h39min

Vigilância Sanitária, Defesa Civil e PM orientam comerciantes sobre decisão judicial que proíbe abertura de comércio em Barra do Garças

A decisão diz respeito ao funcionamento de bares, lanchonetes, restaurantes, academias e eventos religiosos que estão proibidos durante a pandemia para evitar aglomerações. A prefeitura está recorrendo desta decisão

Secom - BG
ARAGUAIA NOTÍCIA


A Vigilância Sanitária de Barra do Garças com o apoio da Defesa Civil e Polícia Militar, saiu às ruas mais uma vez nessa terça-feira (7) para orientar os comerciantes para o cumprimento da decisão judicial que veta a abertura do comércio de bares, lanchonetes, restaurantes, cinemas, academias e igrejas durante a pandemia do coronavírus. A medida vem sendo cumprida desde a determinação do juiz da 4ª Vara Cível, Carlos Augusto Ferrari, que vetou dispositivos de Decreto Municipal, em 1º de abril.

O trabalho de orientação e recomendação atende a pedido do prefeito Roberto Farias diante da decisão judicial que determinou o fechamento desses comércios com o objetivo de proteger a população contra o coronavírus. O prefeito entende que a medida da Justiça prevalece e todos os comerciantes devem obedecê-la, mantendo suas portas fechadas para evitar aglomerações e a consequentemente proliferação do vírus.



De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Paulo Henrique Borges, desde que o município recebeu a notificação da Justiça, as medidas foram adotadas para orientar e fazer com que os comerciantes entendam que o momento é de prevenção contra o coronavírus. “Estamos apoiando a Vigilância juntamente com a Polícia Militar para orientar e recomendar que a decisão do juiz deve ser cumprida”, disse o coordenador, informando que o comércio pode adotar o sistema delivery aos consumidores. 

A Prefeitura de Barra do Garças recorreu da medida do juiz Carlos Augusto Ferrari, mas antecipa que enquanto não seja apreciada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso, a decisão do magistrado prevalece em todos os sentidos. A Vigilância Sanitária, Defesa Civil e PM estarão nas ruas para que a decisão seja respeitada.
Notícias Relacionadas »
Comentários »