27/03/2020 às 20h48min - Atualizada em 27/03/2020 às 20h48min

Fiscalização pretende coibir divulgação de dados extraoficiais de coronavírus em MT para evitar confusão

Na quinta-feira a SES errou com relação aos dados e criou uma falsa impressão de que cidades estariam sem casos suspeitos. Para coibir essa situação a Vigilância Estadual começa a fiscalização a divulgação de dados paralelos

Assessoria
ARAGUAIA NOTÍCIA


Nesta sexta-feira (27), as equipes da Vigilância Sanitária estadual e municipal de Várzea Grande realizaram ação conjunta de fiscalização em todos os laboratórios e em outros serviços públicos e particulares de saúde do segundo maior município da baixada cuiabana.

O objetivo da ação é comunicar os estabelecimentos de saúde e laboratórios a respeito da obrigatoriedade da notificação imediata dos casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus nos meios oficiais, de forma a coibir a divulgação de informações extraoficiais, isto é, que não constam no banco de dados do agravo.

O coordenador de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), Marcos Roberto Dias, informou que foram notificados 31 estabelecimentos, entre laboratórios, clínicas, hospitais, Unidades de Pronto Atendimento e Policlínicas.

A medida tem a finalidade de diminuir a especulação e a veiculação de informações inverídicas, que causam pânico na população. “A população tem o direito à informação correta e de forma oficial, especialmente nesse momento de grande risco à saúde de todos. É preciso garantir esse direito e evitar a distorção do cenário real da doença no Estado”, destacou o coordenador. 

As autoridades municipais serão notificadas de forma preventiva e aqueles órgãos e empresas que descumprirem a medida serão autuados e responderão a um Processo Administrativo Sanitário Estadual.



A Vigilância Sanitária estadual também enviará memorando circular aos 16 Escritórios Regionais de Saúde da SES para que notifiquem, em conjunto com os municípios de Mato Grosso, a abrangência dos serviços de saúde e dos laboratórios públicos e privados nas demais cidades.

A Ouvidoria da Vigilância Sanitária estará recebendo denúncias de descumprimento da notificação pelo e-mail ([email protected]) ou pelo telefone: (65) 3613 5378.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.5%
4.6%
20.0%
73.8%