07/10/2013 às 16h41min - Atualizada em 07/10/2013 às 16h41min

Mulher cúmplice na morte de moto-taxista é assassinada por asfixia em MT

Olhar Direto
Tv Cidade / Record

Foi encontrada morta no bairro Novo Horizonte em Barra do Garças, Lucimara Ramos da Silva, 28 anos. Ela foi assassinada supostamente por asfixia porque os peritos encontraram areia no pulmão e o rosto dela estava bastante ferido com cascalho e terra. O principal suspeito deste assassinato, é o atual companheiro de Lucimara, Ivânio Custódio da Silva, 48 anos, que está foragido. Anteriormente Lucimara chegou a ficar presa por um ano acusada de ser cúmplice no latrocínio de um moto-taxista cometido pelo ex-amásio.

Ivânio já tem passagem na polícia por estupro. De acordo com testemunhas, o casal estava no Black Bar na Vila Maria onde houve uma discussão e Lucimara foi agredida verbalmente. O casal ainda seguiu junto para o bairro Novo Horizonte e no caminho recomeçou a briga.

Lucimara gritou por socorro, porém os moradores quando saíram na rua já a encontraram sem vida. A possibilidade é que Ivânio usou da força física para sufocar o rosto da vítima contra o chão até a morte.

Em 2010, Lucimara chegou a ser presa como cúmplice de um latrocínio em Barra do Garças cometido pelo ex-companheiro dela, Paulo Sérgio Tavares da Silva, que assassinou o moto-taxista Erni Lissner e fugiu com a moto da vítima para Fazenda Água Limpa no distrito Paredão Grande em General Carneiro.

Na fazenda, Paulo Sérgio tomou de assalto um Corsa do fazendeiro Antônio da Purificação Leal e Silva, 84 anos, e feriu a golpes de faca a esposa da vítima, Maria do Bonsucesso Pontes Capitão Leal e Silva, 75. Em nova fuga retornando para Barra o casal capotou o carro e foi preso numa borracharia no bairro São José.

Paulo Sérgio permanece preso e Lucimara não só estava solta, mas com novo relacionamento. A polícia, agora, procura por Ivânio principal suspeito da morte dela.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.5%
1.3%