03/03/2020 às 10h38min - Atualizada em 03/03/2020 às 10h38min

Revitalização do Araguaia: Dr. Edvaldo cobra promessas de Bolsonaro e aliados

Assessoria
ARAGUAIA NOTÍCIA


A quatro meses de se completar um ano da visita que o presidente Bolsonaro fez a Barra do Garças e Aragarças, quando foi lançado um projeto audacioso de revitalização e recuperação das margens do Rio Araguaia, inclusive com previsão de investimentos em saneamento básico, Dr. Edvaldo é incisivo em ao afirmar que até a presente data nada foi feito neste sentido.

“Até o momento, não vimos nenhuma ação concreta! No dia 5 de junho de 2020 completará um ano em que o presidente Bolsonaro esteve em Barra do Garças e Aragarças para o lançamento do projeto ‘Juntos pelo Araguaia’, prometendo recuperar 10 mil hectares de áreas de preservação permanente, recomposição de áreas florestais degradadas e a conservação do solo e a água na região, com obras de saneamento básico abrangendo 27 municípios mato-grossenses e goianos ao longo do rio”, reclama Dr. Edvaldo.

“O mais complicado é que neste 1 ano de governo Bolsonaro o que vimos foi a desarticulação total dos órgãos ambientais e o aumento da agressão à natureza. Ampliação das queimadas na Amazônia, do desmatamento, o derramamento de olho na costa brasileira até agora sem origem descoberta e a polêmica proposta de mineração em terras indígenas, ampliando os conflitos existentes”, contesta Dr. Edvaldo.

O lançamento do projeto contou com a participação dos governadores de Mato Grosso e de Goiás, o que transpareceu para as populações de Barra do Garças e Aragarças que finalmente alguma inciativa seria tomada no sentido de recuperar as margens degradadas não só do Araguaia como também do Rio Garças, além de ser uma oportunidade para a implantação de amplo serviço de coleta de esgoto e de lixo nesses municípios.

Dr. Edvaldo defende criação de Consórcio para Saneamento



“Com 61.012 habitantes, segundo o IBGE, somando-se a população de Pontal do Araguaia (6.711) e Aragarças (20.118), esse polo chega a 87.841 pessoas, de acordo com a estimava do IBGE para 2019. Assim, esses municípios podem implantar, juntos, um Aterro Sanitário Regional, em consórcio que atenderia as demandas para o adequado tratamento do lixo, beneficiando protegendo essas populações e nossa natureza dos efeitos maléficos da existência de lixões, que poluem o solo, fazem proliferar doenças e contaminam nossos rios”, destaca Dr. Edvaldo.

Segundo Dr. Edvaldo um projeto de desenvolvimento para a região tem que levar em conta a necessária defesa de nossos rios e qualidade de vida para nossa gente, deve preservar nosso meio ambiente investindo em saneamento básico.

“Por outro lado, a implantação de um serviço eficiente de saneamento básico em nosso município gerará empregos, como a ação da coleta seletiva, crucial para a reciclagem, reaproveitamento de materiais e geração de renda”, finaliza Dr. Edvaldo.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

2.1%
4.2%
20.4%
73.3%