23/02/2020 às 22h57min - Atualizada em 23/02/2020 às 22h57min

Reitora da UFMT alega "razões pessoais" e renuncia ao cargo

Mandato de Myrian Serra terminaria no final deste ano e ela poderia tentar a reeleição

Midia News
ARAGUAIA NOTÍCIA
A professora de Nutrição Myrian Serra renunciou ao cargo de reitora da Universidade Federal de Mato Grosso nesta sexta-feira (21).
 
O ofício com a renúncia foi encaminhado a João Carlos Salles Pires, presidente da Associação Nacional do Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).
 
Myrian alegou "razão de cunho pessoal" para deixar o cargo. No documento, anuncia que deixa as funções a partir do dia 2 de março.
 
"Por razões de cunho pessoal, comunico a minha renúncia ao Cargo de Reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a partir de 02 de março de 2020", consta no documento.


 
"A partir de agora estarei em outras frentes, sempre em defesa da Educação Superior Autônoma, Pública, Gratuita, Democrática, Laica e Inclusiva", disse.
 
Eleita em 2016, Myrian encerraria seu mandato em outubro deste ano, mas tinha direito a tentar a reeleição. Em seu lugar assume o professor Evandro Soares, do departamento de Engenharia Elétrica.  
 
A reitora não espeficou quais seriam as razões para a renúncia. Porém a professora teve problemas de saúde durante o mandato. Em dezembro de 2016, ela sofreu um acidente vascular cerebral durante um evento no teatro da Universidade.
 
Myrian chegou a ficar por quase dois meses na UTI do Hospital Santa Rosa, em Cuiabá.
 
Gestão "turbulenta"
 
A gestão da reitora foi considerada por muitos "turbulenta". Ela enfrentou problemas de ordem administrativa durante sua passagem pelo cargo, inclusive com embates com o ministro da Educação, Abraham Weintraub.
 
Em razão de cortes nos orçamento, a UFMT teve o fornecimento de energia interrompido em julho do ano passado por ter seis contas não pagas, totalizando R$ 1,8 milhão.
 
Também durante sua gestão ocorreu o fechamento do tradicional zoológico, no início do ano passado. Outro problema enfrentado por Myrian à frente da reitoria foi a greve dos trabalhadores no serviço terceirizado em razão do atraso no repasse para a empresa responsável pela limpeza do campus.


 
Notícias Relacionadas »
Comentários »