16/01/2020 às 14h44min - Atualizada em 16/01/2020 às 14h44min

Menor que participou de assassinato é solto e população se revolta no Araguaia

Araguaia Notícia


A população da pacata cidade de Araguaiana, a 51 km de Barra do Garças-MT, ficou surpresa e revoltada com a decisão da Justiça que colocou em liberdade o menor de 17 anos apreendido acusado de participar de brutal assassinato no dia 07/01 no encerramento da Festa de Reis daquela cidade.

De acordo com o que apurou o site Araguaia Notícia, o adolescente já estava apreendido aguardando vaga de internação no socioeducativo, mas como transcorreu o prazo de 5 dias previsto no Código da Criança e do Adolescente (ECA) e a vaga não surgiu, com isso, houve a determinação para que o rapaz fosse libertado mesmo tendo confessado a participação no homicídio.

A decisão foi comunicada na quarta-feira (15/01) para delegacia de Barra do Garças onde permanecia o adolescente aguardando o tramite da internação.

A população, principalmente parentes da vítima, ficaram indignados com a libertação do menor acusado de participar do bárbaro crime contra Marcelo Alves dos Santos, de 47 anos, que teve a cabeça esmagada sendo espancado até a morte inclusive recebendo pauladas.



O crime ocorreu na terça-feira (07.01), na festa de encerramento da Folia de Reis em Araguaiana. O corpo foi localizado logo pela manhã, em um terreno abandonado, a cerca de 30 metros de onde ocorria a festa.

Assim que foi acionada sobre a ocorrência, a equipe de investigadores da Delegacia de Araguaiana iniciou as diligências, intimando e ouvindo testemunhas que pudessem auxiliar no esclarecimento do crime. Com base nas oitivas e também de troca de informações com a Polícia Militar, os investigadores chegaram à identificação dos dois suspeitos do crime: o menor de 17 anos e Paulo Salustiano, 34 anos, que está preso.

Diante das evidências, o delegado Wilyney Santana Borges representou ao Juízo de Barra do Garças pela prisão do suspeito maior de idade e pela apreensão do adolescente, sendo as duas ordens judiciais expedidas pela Justiça.

Os dois suspeitos do homicídio foram localizados e após terem os mandados cumpridos, confessaram a participação no crime, dando detalhes sobre os fatos. Participaram da ação os policiais civis, investigador Abel César e escrivã Rebeca, com apoio da Polícia Militar de Araguaiana.

Na manhã de quinta-feira, o delegado Wilyney preferiu não questionar a decisão tomada pelo Poder Judiciário, todavia lamentou e disse que fatos como este contribuem para uma sensação de impunidade.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.3%